Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

17 de Novembro de 2019 as 23:11:39



HONG KONG Manifestantes atiram Flechas e Polícia alerta que poderá usar Munição Real



Polícia de Hong Kong ameaça disparar balas reais contra manifestantes
 
A polícia de Hong Kong ameaçou neste domingo usar "munições reais" se continuar a enfrentar manifestantes que usem "armas letais". É o primeiro alerta desse tipo desde o início dos confrontos, há quase seis meses.
 
"Se eles [os manifestantes] continuarem com ações tão perigosas, não teremos outra escolha senão usar a força de forma mínima, incluindo o uso de munições reais",
 
disse o porta-voz da polícia, Louis Lau, numa transmissão em vídeo ao vivo na rede social Facebook.
 
Um policial foi atingido na perna, neste domingo, por uma flecha lançada por manifestantes antigoverno, informaram as forças de segurança, que reforçaram a operação no local com um canhão de água.
 
As forças de segurança publicaram imagens no Facebook e afirmaram ter sido alvo do arremesso de tijolos, bombas incendiárias e flechas por parte de manifestantes que ainda permanecem na Universidade Politécnica de Hong Kong.
 
A polícia alertou que as condições estão "se deteriorando", condenou a violência dos manifestantes e recomendou à população que não se dirija para o local, lembrando que a ação dos jovens põe em perigo a vida das pessoas.
 
De manhã, a polícia disparou gás lacrimogêneo contra os manifestantes na Universidade Politécnica de Hong Kong, no momento em que a oposição parlamentar critica as Forças Armadas chinesas que, nesse sábado, 16.11, retiraram escombros das ruas.
 
Os manifestantes, que ocuparam vários campus importantes durante a semana passada, recuaram quase por completo, à exceção de um contingente que permanece na Universidade Politécnica.
 
O mesmo grupo também bloqueia o acesso a um dos três principais túneis rodoviários que ligam a Ilha de Hong Kong ao resto da cidade.
 
O movimento começou em protesto à apresentação de uma proposta de alteração à lei da extradição, que permitiria ao governo e aos tribunais da região administrativa especial a extradição de suspeitos de crimes para jurisdições sem acordos prévios, como é o caso da China Continental.
 
A proposta foi formalmente retirada, mas as manifestações continuaram e reivindicam agora a realização de eleições no território, a demissão da atual chefe do Governo, Carrie Lam, uma investigação independente à violência policial e a libertação dos detidos ao longo dos protestos.
 
FONTE: Radio e Televisão Portuguesa, Hong Kong, apud Agência Brasil.
Copidescagem e Chamada de Capa da Redação JF


Fonte: Radio e Televisão Portuguesa, Hong Kong, apud Agência Brasil. Copidescagem e Chamada de Capa da Redação JF

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
06/07/2013
CASO SNOWDEN - Portugal lamenta incômodo a Evo Morales
 
06/07/2013
CASO SNOWDEN - Espanha diz não ter proibido sobrevoo de Morales
 
06/07/2013
CASO SNOWDEN - Evo Morales oferece asilo a Snowden
 
05/07/2013
EGITO - Governo Brasileiro considera ruptura da ordem democrática a destituição de Mursi
 
05/07/2013
EGITO - Exército detem o presidente Mouhamed Mursi
 
03/07/2013
EGITO - Militares derrubam o presidente Mursi e suspendem a Constituição
 
01/07/2013
CRISE NO EGITO - Manifestantes pressionam presidente do Egito a renunciar
 
01/07/2013
DILMA NOS EUA - Secretário de Energia dos EUA prevê ampliação de acordos
 
30/06/2013
ESPIONAGEM - União Europeia cobra dos EUA investigações sobre suspeita de espionagem
 
21/06/2013
IRÃ deverá inaugurar centro espacial para lançamento de satélites
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites