Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Quinta-Feira, Dia 16 de Janeiro de 2020 as 22:01:21



O MERCADO, 16.01: IBOVESPA sobe 0,25% a 116.704 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,190



Diário do Mercado na 5ª feira, 16.01.2020
 
Divergência entre indicadores de atividade reforça o descolamento do mercado local do otimismo global
 
Comentário.
 
Em dia de agenda econômica intensa, e benéfica para os EUA, as principais Bolsas internacionais fecharam em alta, acompanhando o sinal favorável emitido pelos juros dos títulos do Tesouro norte-americano, em elevação, e o abrandamento da volatilidade expresso pelo índice VIX.
 
A divulgação de indicadores de atividade aquecidos, nos EUA, fortaleceu o impulso iniciado na véspera, com a assinatura da primeira fase do acordo com a China, reforçando projeções otimistas e atenuando medidas de risco.
 
No entanto, o ambiente interno não acompanhou a euforia global e passou a repercutir movimentos de dúvida, após a divulgação do IBC-Br positivo, intensificando a volatilidade, em razão das diferentes tendências dos índices domésticos de atividade.
 
Enquanto a Bolsa alternou altas e baixas, sem direção clara ao longo do dia, o câmbio e os juros futuros se elevaram, precificando ajustes e novas estimativas de corte da Selic em fevereiro.
 
Ibovespa.
 
O índice abriu o pregão em alta, perdeu força no meio da tarde e retomou à valorização no final do dia, com grande volatilidade, fechando aos 116.704 pontos (+0,25%), acumulando +4,30% em um mês e +23,64% em 12 meses.
 
O índice de atividade econômica do Banco Central IBC-Br surpreendeu o mercado, positivamente, mas provocou dúvidas entre os agentes, pela sua divergência perante os indicadores de atividade reportados anteriormente, em comportamento desfavorável (produção industrial, vendas no varejo e volume de serviços).
 
Como reflexo dessa divergência, a Bolsa operou com grande volatilidade e, segundo operadores, sofreu novas saídas de recursos estrangeiros. O giro financeiro preliminar da Bovespa totalizou R$ 20,3 bilhões. 
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 14 de janeiro (último dado disponível), a Bovespa registrou saída líquida de capital estrangeiro no total de R$ 695,092 milhões. Neste mês de janeiro, o fluxo líquido de estrangeiros está negativo, em R$ 5,014 bilhões.
 
Em 2019, a saída líquida total atingiu R$ 44,517 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o índice de atividade econômica IBC-Br apresentou alta de 0,18% de outubro a novembro, com ajuste sazonal, superando o dado anterior (0,17%) e as expectativas de mercado (-0,05%). Na comparação anual (nov/18 a nov/19), houve alta de 1,10% (sem ajustes) acima das estimativas (0,90%).
 
O IPC-S apresentou desaceleração, fechando em 0,48% (na segunda quadrissemana de janeiro), abaixo do dado anterior (0,57%) e dentro das expectativas (0,48%).
 
Em sua composição, 6 das 8 classes de despesas recuaram, com destaque para Alimentação (seguindo o comportamento dos preços da carne bovina) e Transportes. Entre as altas, despontaram Habitação e Educação.
 
O IGP-10 desacelerou para 1,07% em janeiro (frente a 1,69% do dado anterior) e praticamente em linha com as projeções (1,09%). O segmento de atacado elevou-se 1,38% (IPA-10), o varejo, 0,51% (IPC-10) e construção, 0,24% (INCC-10).
 
Nos EUA, vendas no varejo apresentaram alta de 0,3% entre novembro e dezembro, dentro da previsão, e o índice de atividade do FED de Filadélfia apresentou alta de 2,4 para 17, muito acima da estimativa (3,8).
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar comercial (interbancário) abriu em baixa, mas ainda pela manhã se recuperou e fechou em alta, cotado a R$ 4,1900 (+0,17%), acumulando +3,15% em um mês e +12,27% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil de 5 anos recuou, de 101 para 98 pontos.
 
Juros.
 
A curva do DI futuro se elevou em praticamente todos os vencimentos, com volume elevado e maior intensidade nos contratos médios e longos, refletindo o dado positivo da atividade pelo IBC-Br. Em relação ao pregão anterior, assim fecharam:
 
DI janeiro/2021 em 4,44% de 4,39%;
DI janeiro/2022 em 5,08% de 5,02%;
DI janeiro/2023 em 5,67% de 5,59%;
DI janeiro/2025 em 6,43% de 6,34%;
DI janeiro/2027 em 6,81% de 6,74%.
 
Agenda.
 
Brasil: IPC Fipe Semanal.
 
EUA: produção industrial, Sentimento da Universidade de Michigan, ofertas de empregos JOLTS.
 
China: investimento estrangeiro direto, vendas a varejo, produção industrial, PIB.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório sobre o comportamento do mercado ns 5ª feira, 16.01.2020, elaborado por RENATO ODO, CNPI-P, e HENRIQUE TOMAZ DE AQUINO, CFA, ambos integrantes do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RENATO ODO, CNPI-P, e HENRIQUE TOMAZ DE AQUINO, CFA, integrantes do BB Investimentos

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
18/03/2014
CRISE NA UCRÂNIA - Por que a Crimeia pertence à Ucrânia
 
INVESTIMENTOS - MAGAZINE LUIZA - Revisão de Preços:  UPSIDE de 78,3% 18/03/2014
INVESTIMENTOS - MAGAZINE LUIZA - Revisão de Preços: UPSIDE de 78,3%
 
17/03/2014
INVESTIMENTOS - MILLS - Relatório do desempenho do 4º trimestre/2013: UPSIDE de 43,1%
 
17/03/2014
INVESTIMENTOS - M. DIAS BRANCO - Resultados no 4º trimestre/2013: UPSIDE de 35,3%
 
17/03/2014
INVESTIMENTOS - MINERVA - Resultados do 4º trimestre/2013: Upside de 14,1%
 
17/03/2014
INVESTIMENTOS - FRAS LE - Resultados so 4º trimestre/2013: Upside de 32%
 
10/03/2014
INVESTIMENTOS - MARFRIG - Resultados no 4º trimestre/2013;
 
07/03/2014
INVESTIMENTOS - MULTIPLUS: Resultados do 4ºtrimestre/2013: Upside de 23,6%
 
07/03/2014
INVESTIMENTOS - ABRIL EDUCAÇÃO: Resultados do 4º trimestre/2013
 
07/03/2014
INVESTIMENTOS - BRF BRASILIAN FOODS - Resultados do 4º trim/estre2013
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites