Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

27 de Agosto de 2019 as 23:08:47



JBS - Resultado no 2º trimestre /2019: Sólido, Perspectivas Promissoras



JBS - Resultado no 2º Trimestre de 2019
15.08.2019
 
Resultados sólidos e perspectivas promissoras; atualizando nossas estimativas
 
A JBS relatou resultados fortes. No trimestre, três principais aspectos impulsionaram a linha de frente, entre eles:
 
(i)   a valorização do dólar (+ 9% aa médio),
(ii)  maiores volumes e preços médios no Brasil, e
(iii) um sólido desempenho em JBS Pork nos EUA.
 
Como resultado, a receita consolidada cresceu substancialmente 13% a/a para R $ 50,8 bilhões (2% abaixo da nossa estimativa e 2% acima do consenso). No mesmo caminho positivo, o EBITDA cresceu 20% aa, também induzido pela adoção do IFRS 16 no início deste ano. Portanto, a margem atingiu dois dígitos em 10% contra 9,4% no 2T18.
 
Destacamos como positivas as iniciativas de gestão com foco na disciplina financeira que, aliadas ao forte desempenho operacional e conseqüente geração robusta de caixa (FCF de R$ 3,7 bilhões no 2T19), permitiram, sequencialmente, que a empresa alcançasse uma posição de liquidez mais confortável. Nesse sentido, a empresa registrou redução de 8% na relação trimestre/trimestre da dívida líquida e alavancagem em 2,78x contra 3,2x no último trimestre. Dado o nível alcançado, a diretoria declarou na teleconferência sobre os resultados, hoje, que o crescimento inorgânico está de volta ao radar da empresa.
 
Em suma, revisitamos nossas estimativas e agora apresentamos nosso preço-alvo de YE20 para o JBSS3 em R$ 33/ação, o que reflete resultados mais fortes já demonstrados no 1S19 e a promissora perspectiva à frente.
 
Destaques.
 
Como esperado, a Seara começou a capturar mais valor da ASF, o que contribuiu para um aumento de 12% ano/ano nos preços médios e 16% ano/ano nos volumes exportados. No mercado doméstico, os preços mais altos (+25% aa) compensaram totalmente a queda de 3% no volume. Como resultado, a receita total atingiu R $ 5,1 bilhões, 24% superior ao 2T18 e em linha com nossa estimativa.
 
O EBITDA também refletiu o forte desempenho das exportações e aumentou substancialmente para R $ 563 milhões, em linha com o BB-BIe, enquanto a margem atingiu o dígito duplo de 11,1%.
 
Em nossa visão, a Seara tem uma perspectiva construtiva à frente que deve permitir que a unidade mantenha as margens no mesmo nível no 2S19. Quanto à JBS Brasil, a receita foi positivamente impactada por maiores volumes no mercado interno (+ 17% aa), especialmente processados ​​cujo volume cresceu 12% a / a, somado a um desempenho favorável nas exportações com maiores volumes (+ 7% ano/ano e preços médios (+ 5% aa).
 
Portanto, a receita total foi de R$ 7,2 bilhões, um aumento significativo de 23% ano/ano e um pouco abaixo da nossa projeção. Por outro lado, dados os maiores custos, o EBITDA caiu 4% aa para R$ 336 milhões, enquanto a margem caiu de 5,6% no 2T18 para 4,7%.
 
Em relação às unidades dos EUA, a JBS Beef apresentou resultados neutros no 2T19. O aumento de 5% aa em volume compensou a queda de 4% aa nos preços médios, mantendo a receita estável em US $ 5,6 bi.
 
O EBITDA, por sua vez, refletiu os maiores preços do boi e caiu 12% aa para US $ 503 milhões, com margem de 8,9% contra 10,2% no 2T18. Como positivos, destacamos os incrementos observados em volumes (+ 68% no acumulado do ano) para a China da Austrália, indicando mais uma vez que a diversificação geográfica da JBS permitiu à empresa mitigar riscos políticos e sanitários, bem como aumentar seu volume de vendas.
 
O PPC, por sua vez, apresentou resultados positivos em nossa visão. Apesar do pequeno crescimento da receita, os custos menores impulsionaram o EBITDA em 24% a / a, levando a margem para 12,3% de 10% no 2T18. Na mesma trajetória positiva e após um período de margens pressionadas devido ao excesso de oferta nos EUA, a JBS Pork recuperou a margem que atingiu 8,2% de 7,2% no 2T18, em função dos maiores preços médios (+ 10% ano/ano).
 
Além da grande execução da empresa, que aumentou os volumes de produtos de maior valor agregado, as maiores exportações de carne suína esperadas também deverão impactar positivamente os próximos trimestres, em nossa visão.
 
YE20 TP para JBSS3: R$ 33,0/ação
 
Apresentamos o nosso YE20 TP para o JBSS3 em R$ 33,0/ação, com o rating Outperform. A JBS mostrou melhorias sequenciais q / q e vemos novos ganhos vindo do contexto da ASF à frente, o que deve impulsionar a demanda internacional.
 
O JBSS3 já subiu mais de 130% no acumulado do ano no mercado acionário brasileiro, e, em nossa visão, ainda há espaço para upside dado o cenário positivo acima mencionado.
 
Considerando tudo, revisamos nossas estimativas e rolamos nosso preço alvo para o YE20, que agora está em R$ 33,0, com um atrativo de 21%. Portanto, avaliamos o JBS no Outperform, o que implica um EV / EBITDA 20E em 6,5x.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório sobre o desempenho da JBS no 2º trimestre/2019, elaborado por LUCIANA CARVALHO, integrante do BB Investimentos.
Tradução: Redação JF

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: LUCIANA CARVALHO, integrante do BB Investimentos. Tradução: Redação JF





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO 13/11/2019
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO
 
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%) 08/11/2019
O MERCADO, 07.11: Ibovespa sobe 1,13% a 109.580 pts. Dólar a R$ 4,0920 (+0,24%)
 
O MERCADO, 06.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 06.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
O MERCADO, 05.11: Ibovespa  estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993 06/11/2019
O MERCADO, 05.11: Ibovespa estável em 108.719. Dólar cai a R$ 3,993
 
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO. 05/11/2019
USIMINAS Resultado no 3º trimestre/2019: NEGATIVO.
 
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011 05/11/2019
O MERCADO, 04.11: Ibovespa sobe 0,54% a 108.779 pts. Dólar sobe a R$ 4,011
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites