Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

07 de Março de 2014 as 02:03:58



INVESTIMENTOS - BRF BRASILIAN FOODS - Resultados do 4º trim/estre2013



BB Investimentos analisa 4T13 de BRF
 
Cenário ainda desafiador no mercado interno e externo
 
BRFS3
Preço em 27/02/2014  R$ 40,90
Preço para 12/2014     Em revisão
 
O volume de vendas da BRF retraiu 8,1% no 4T13 se comparado ao mesmo período de 2012, e gerou uma receita líquida de R$ 8,2 bilhões, um crescimento de apenas 0,8% A/A.
 
O último trimestre do ano caracteriza-se por ser o melhor período de vendas do  setor devido às datas comemorativas. No entanto, as demandas de Natal não seguiram a tendência e a inflação em patamares mais elevados, em conjunto com índice de confiança do consumidor mais baixo, afetaram as vendas no mercado interno (-16,4%  A/A).
 
Essa retração foi compensada pelo aumento de 19,6% dos preços médios. Na contramão do mercado doméstico, os preços médios mais comprimidos no exterior anularam os ganhos com a desvalorização do real.
 
As exportações do 4T13 proporcionaram  uma receita em linha com a do mesmo período do ano anterior (R$ 3,4 bilhões). No acumulado do ano, o avanço de 7% na receita líquida (total de R$ 30,5 bilhões) foi resultado de preços médios mais elevados e da valorização do dólar.
 
Custos e despesas operacionais pressionam margens
 
O CPV cresceu 8,1%, em comparação com o 3T13, e foram impactados pelos custos de mão-de-obra, matérias primas (farelo de soja e captação do leite), e aumento de itens indexados ao câmbio (embalagens, vitaminas e fretes).
 
As despesas operacionais do  último trimestre cresceram 8,9% quando comparada com as do 3T13, influenciadas principalmente pela contratação de consultoria e TI, gastos com marketing, bem como por despesas não recorrentes advindas da reestruturação organizacional.
 
A margem  operacional cresceu 1,7 p.p. A/A, ritmo inferior aos 3,6 p.p. de crescimento observado no 3T13. Assim, o Ebitda teve queda de 2% em relação ao 3T13 e margem 0,2 p p. menor. No ano, o Ebitda alcançou R$ 3,1 bilhões, alta de 37,2% em relação a 2012 e  margem de 10,3%.
 
Resultado Líquido
 
Impactado pelo aumento das despesas operacionais e financeiras, o lucro líquido recuou 60% A/A, chegando a R$ 208,4 milhões no 4T13, com margem líquida de 2,5% ante 6,4% do 4T12.
 
Contudo, mesmo diante de um cenário mais desfavorável e de  reorganização corporativa, em função de sua performance nas exportações e do repasse de preços no mercado doméstico, no acumulado do ano de 2013, a empresa atingiu um lucro líquido de R$ 1,1 bilhões, alta de 38% em comparação com ano de 2012, e  margem de 3,5%. 
 
Níveis ainda menores de alavancagem
 
No 4T13 a BRF apresentou aumento de 8% no endividamento bruto comparado ao mesmo período de 2012. Não obstante, o incremento de 35% na geração de FCF no trimestre alcançou R$ 578,2 milhões, e contribuiu para um índice de dívida líquida/Ebitda  ajustado de 1,87x, seguindo a trajetória de queda dos níveis de endividamento da companhia.
 
Considerações
 
O processo de reestruturação ainda deverá ser responsável por despesas operacionais não recorrentes que afetarão os números da BRF nos próximos trimestres, porém com efeito positivo no longo prazo.
 
Acreditamos que os resultados desse novo modelo serão  percebidos ao longo do ano de 2014, principalmente no segundo semestre, entretanto, ainda sem grandes surpresas.
 
O mercado externo pode favorecer a rentabilidade da companhia tendo em vista que, dentro de sua estratégia de atuar como empresa  global, os investimentos também estão sendo voltados para ampliar sua linha de processados, principalmente no Oriente Médio, potencial cliente de carne de frango brasileira.
 
 
Confira no anexo o relatório completo de análise dos resultados da BRF, assinado por Nataniel Cezimbra, gerente da equipe de analistas do BB Investimentos; e Luciana de Carvalho, analista do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: BB BI





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 16.01 Avalie se convém Investir 16/01/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 16.01 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 14.01: IBOVESPA sobe 0,26% a 117.632 pts. DÓLAR caiu 0,29% a R$ 4,129 14/01/2020
O MERCADO, 14.01: IBOVESPA sobe 0,26% a 117.632 pts. DÓLAR caiu 0,29% a R$ 4,129
 
O MERCADO, 15.01: IBOVESPA cai 1,04% a 116.414 pts. DÓLAR sobe 1,31% a R$ R$ 4,183 15/01/2020
O MERCADO, 15.01: IBOVESPA cai 1,04% a 116.414 pts. DÓLAR sobe 1,31% a R$ R$ 4,183
 
O  MERCADO, 16.01: IBOVESPA sobe 0,25% a 116.704 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,190 16/01/2020
O MERCADO, 16.01: IBOVESPA sobe 0,25% a 116.704 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,190
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 14.01 Avalie se convém Investir 14/01/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 14.01 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 13.01: IBOVESPA sobe 1,58% a 117.325 pTS. DÓLAR subiu a a R$ 4,141 13/01/2020
O MERCADO, 13.01: IBOVESPA sobe 1,58% a 117.325 pTS. DÓLAR subiu a a R$ 4,141
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 10.01.2020. Avalie se convém Investir 11/01/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 10.01.2020. Avalie se convém Investir
 
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures sob Ótíca de RETORNOS em 10.01 11/01/2020
RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures sob Ótíca de RETORNOS em 10.01
 
ALIMENTOS & BEBIDAS - Relatório de Análise - Dezembro/2020 09/01/2020
ALIMENTOS & BEBIDAS - Relatório de Análise - Dezembro/2020
 
FUNDOS IMOBILIÁRIOS - Carteira em Janeiro/2020 - Relatório de Análise 09/01/2020
FUNDOS IMOBILIÁRIOS - Carteira em Janeiro/2020 - Relatório de Análise
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites