Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

11 de Fevereiro de 2014 as 18:02:01



INVESTIMENTOS - RENNER, a "queridinha do mercado" - Dr. Haroldo Monteiro



Renner: A queridinha do mercado, ganha cada vez mais recomendação dos analistas
Dr. Haroldo Monteiro
 
Mais um trimestre que terminou, e a Renner recebe elogios e até recomendações de compra, como li recentemente uma casa soltando um relatório com o seguinte título - " Varejista a preço de liquidação".
 
Na realidade há um certo tempo venho chamando a atenção para este papel, em dois artigos escritos, sendo que um dedicado inteiramente ao papel com o título " Se for para comprar compre Renner" escrito quando o mercado começava a desconfiar da performance do varejo de vestuário. Leia aqui.
 
Além dos seus pontos fortes de ótimo management, a decisão de focar na reforma de lojas ao invés de focar somente em abertura de novas lojas, quando o varejo começou a declinar foi uma decisão acertada.Trata-se de uma ótima estratégia quando o mercado começa a desaquecer e a economia da sinais de desaquecimento. Estudos provam que otimizar as vendas das lojas existentes através de sua modernização fazem na média as vendas crescerem entre 15% e 20%.
 
Outro ponto que ganha cada vez mais destaque é de seu posicionamento no mercado. A marca consegue atrair um publico classe A-/B e também C, pois suas roupas tem seguido muito o estilo fast fashion de algumas lojas do exterior. E Brasileiro adora uma Zara, H&M ou ainda uma Forever 21, e não é a toa que publicaram uma reportagem sobre a varejista com o título : "Renner quer ser a rainha do fast fashion".
 
O público jovem quer gastar com smartphones, tablets e notebooks, roupa tem que ser barata e fashion
 
Também me chamou atenção uma pesquisa divulgada recentemente nos EUA, conduzida pelo site ebate, na qual falava que os jovens estão preferindo cada vez mais gastar suas economias em tablets, smartphones and notebooks do que com roupas.
 
Em outro post verifico uma opinião que vai de encontro a esta tendência. Ela foi publicada num blog americano 21 century library:
 
"Wall Street está tomando conhecimento de adolescentes e jovens adultos que estão se afastando de marcas que costumavam ter presença garantida em seus guarda-roupas. Os chamados grandes varejistas "A", Abercrombie, Aéropostale e American Eagle , estão caindo em desuso . Essas ações estão todas para baixo em porcentagens de dois dígitos nos últimos seis meses, enquanto o S & P 500 subiu 11,5 por cento"
 
"Tudo o que você tem a fazer é passar cinco minutos em uma Abercrombie & Fitch e depois atravessar a rua e ir em uma H & M. Uma diferença marcante é que Abercrombie ainda está vendendo roupas desde 1995, mas sob medida",
 
disse Brian Sozzi , CEO e estrategista chefe de mercado da Belus Capital Advisors . "H & M tem um mix mais amplo de vestuário muito na moda a um preço imbatível".
 
O depoimento do Diretor Financeiro da marca Abercrombie vai pelo mesmo caminho:
 
"Os executivos também observam que os gastos com a juventude parecem estar indo em direção a outras categorias, como tablets e eletrônicos de consumo. Como resultado, a empresa vai dar férias de inverno ao longo das últimas semanas , diz Jonathan Ramsden , diretor financeiro da A & F."
 
Aqui no Brasil, também começo a perceber esta tendência e em momentos de econômia mais fraca esta tendência se acentua. E aí mais um ponto pra Renner. Roupinhas bacanas a um preço de fast fashion.
 
As informações acima citadas, são os principais pilares para a boa performance da empresa, que soube aproveitar o momento do mercado chamado "crise" para tirar proveito e continuar a crescer, e ainda direciona sua estratégia para a tendência atual do fast fashion com "glamour".
 
Assim endosso a opinião dos analistas:
 
"Se for pra comprar compre Renner".
 
 
HAROLDO MONTEIRO
Sócio da  Planning & Management Consultoria
Especializada em Gestão e Tendencias Economicas para o Varejo e
Consultoria em Finanças e Franchising
O autor é graduado em Administração de Empresas e Engenharia Econômica pela UERJ, além do MBA Business Administration pela Ohio University.
É professor convidado da COPPEAD para a disciplina Administração Financeira de Curto Prazo. 
 
Artigo enviado pelo autor em 10.02.2014
 


Fonte: Dr Haroldo Monteiro

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 04.12: Ibovespa subiu 1,23% a 110.300 pts, Dólar estável em R$ 4,202 04/12/2019
O MERCADO, 04.12: Ibovespa subiu 1,23% a 110.300 pts, Dólar estável em R$ 4,202
 
O MERCADO, 02.12: IBOVESPA sobe 064% a 108.927 pts. DÓLAR cai a R$ 4,211 02/12/2019
O MERCADO, 02.12: IBOVESPA sobe 064% a 108.927 pts. DÓLAR cai a R$ 4,211
 
O MERCADO, 29.11 - R$ 8,2 BI de Capitais Externos deixam a bolsa B3 em Novembro 30/11/2019
O MERCADO, 29.11 - R$ 8,2 BI de Capitais Externos deixam a bolsa B3 em Novembro
 
MEGA SENA sorteia prêmio de R$ 44 Milhões neste sábado 30/11/2019
MEGA SENA sorteia prêmio de R$ 44 Milhões neste sábado
 
BRASKEM - Resultado no 3º trimestre de 2019: Negativo 30/11/2019
BRASKEM - Resultado no 3º trimestre de 2019: Negativo
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 28.11 Avalie se convém Investir 29/11/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 28.11 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 28.11: IBOVESPA sobe 0,54% a 108.290 pts. DÓLAR cai a R$ 4,215 28/11/2019
O MERCADO, 28.11: IBOVESPA sobe 0,54% a 108.290 pts. DÓLAR cai a R$ 4,215
 
O MERCADO, 26.11: IBOVESPA cai 1,26% a 107.059 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,244 27/11/2019
O MERCADO, 26.11: IBOVESPA cai 1,26% a 107.059 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,244
 
KLABIN DAY - Perspectiva Positiva para 2.020 26/11/2019
KLABIN DAY - Perspectiva Positiva para 2.020
 
O MERCADO, 25.11: IBOVESPA cai 0,25% a 108.423 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,214 26/11/2019
O MERCADO, 25.11: IBOVESPA cai 0,25% a 108.423 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,214
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites