Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Justiça

26 de Fevereiro de 2024 as 21:46:14



GRUPO AMERICANAS -Justiça homologa Plano de Recuperação


 
Justiça homologa plano de recuperação do Grupo Americanas
Decisão dá aval para que a Empresa coloque as medidas em prática
 
O plano de recuperação judicial do Grupo Americanas foi homologado pelo TJRJ Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro. A decisão, assinada no domingo, 25.02, pelo juiz Paulo Assed Estefan, inicia um novo capítulo no processo aberto no início de 2023, após a descoberta de inconsistências contábeis que indicavam um rombo bilionário e que acabou levando à demissão do então presidente da empresa, Sérgio Rial, e do então diretor de Relações com Investidores, André Covre. Na época, as ações da Americanas cotadas na Bolsa de Valores sofreram uma desvalorização imediata de mais de 70%.
 
A recuperação judicial pode ser solicitada por empresas que se encontram em dificuldades financeiras. O pedido da Americanas foi aceito pelo TJRJ em 19 de janeiro de 2023, levando assim à paralisação das execuções judiciais de dívidas. Também foi aberto prazo para elaboração de um plano que inclua as formas de pagamento aos credores e uma reorganização administrativa, de forma a evitar que a situação se agrave e chegue a um cenário de falência.
 
O Grupo Americanas é composto pelas empresas Americanas S.A., B2W Digital Lux e JSM Global. Elas são responsáveis por marcas variadas que realizam vendas a varejo e por meio da internet, tais como as Lojas Americanas, Americanas.com, Submarino, Shoptime, Hortifrutti, entre outras. Somente em novembro do ano passado, com a revisão dos dados financeiros e divulgação dos balanços de 2022, chegou-se ao montante exato do rombo R$ 25,2 bilhões. No processo que discute a recuperação fiscal, foram declaradas dívidas que somam R$ 42,5 bilhões.
 
A Assembleia Geral dos Credores chegou a rejeitar as primeiras propostas. Mas, em 19 de dezembro do ano passado, o plano foi aprovado. Sua homologação judicial dá aval para que a Americanas coloque as medidas em prática. Ele estabelece prazos e modalidades de pagamento para cada tipo de credor. Por exemplo, as dívidas trabalhistas, que somam R$ 89,2 milhões, e dívidas com micro e pequenas empresas, que chegam a R$ 180,2 milhões, devem ser quitadas em até 30 dias. Também receberão nesse prazo fornecedores que possuem créditos de até R$ 12 mil ou que concordarem em receber esse valor e abrir mão do excedente.
 
Ao todo, são mais de 9 mil credores entre pessoas físicas e jurídicas. Quatro bancos – Bradesco, BTG Pactual, Itaú Unibanco e Santander – respondem por mais de 35% da dívida. Em novembro do ano passado, a Americanas fechou um acordo com essas instituições financeiras. A negociação abriu o caminho para destravar o plano de recuperação judicial. Ficou acertado que o Grupo Americanas receberia um incremento de capital de R$ 24 bilhões, sendo R$ 12 bilhões pelos seus acionistas de referência (Jorge Paulo Lemann, Carlos Alberto Sicupira e Marcel Telles) e outros R$ 12 bilhões dos próprios bancos, mediante conversão de dívidas em ações.
 
As empresas Preserva-Ação Administração Judicial e Escritório de Advocacia Zveiter exercem a função de administrador judicial, que possui a atribuição de fiscalizar as atividades do devedor e o cumprimento do plano de recuperação judicial. Conforme a legislação, são nomeados pelo juiz e atuam em seu auxílio e sob sua supervisão.
 
Em seu portal eletrônico, a Americanas divulgou nesta 2ª feira, 26.02, uma nota para informar sobre a homologação. Conforme o texto, ela manterá os acionistas informados sobre os próximos desdobramentos e divulgará comunicados aos credores e ao mercado a respeito dos prazos previstos no plano.
 
No mesmo dia em que o TJRJ homologa o plano de recuperação judicial, veio a público o balanço da Americanas referente ao terceiro trimestre de 2023. Ele registra novos prejuízos. No acumulado dos nove primeiros meses do ano passado (entre janeiro e setembro), houve um saldo negativo de R$ 4,61 bilhões. O montante, no entanto, é 23,5% menor se comparado ao prejuízo registrado no mesmo período em 2022.
 
Decisão
 
Na decisão que homologou o plano de recupeparação judicial, o juiz Paulo Assed Estefan avaliou que a situação financeira da empresa tornada pública em janeiro do ano passado gerou "uma crise de confiança no mercado pouco vista na história recente brasileira"
 
"A complexidade dos litígios que circundaram a presente recuperação judicial, nas mais variadas vertentes (jurídica, administrativa e arbitral), alçam esse feito recuperacional à categoria de paradigmático", 
 
escreveu que o juiz Estefan, que tambem pontuou que a primeira versão do plano de recuperação recebeu elevado número de insurgências. No entanto, ele observa que as divergências foram superadas, com a proposta aprovada com quórum de 97,19% de votos por crédito e de 91,14% dos votos por cabeça.
 
"As partes, em sua grande maioria altamente qualificada, convergiram na construção de consenso, incluindo a assinatura de pré-acordos para a solução da crise, o que fez suplantar, em muitos casos, as objeções inicialmente verificadas",
 
escreveu. O magistrado também destaca o posicionamento do Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ), favorável à homologação.


Fonte: AGENCIA BRASIL.





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
PETROBRAS - Justiça reconduz Presidente do Conselho de Administração ao cargo 18/04/2024
PETROBRAS - Justiça reconduz Presidente do Conselho de Administração ao cargo
 
CNJ abre Processo Disciplinar contra Juíza GABRIELA HARDT 18/07/2023
CNJ abre Processo Disciplinar contra Juíza GABRIELA HARDT
 
Justiça autoriza Transporte Hidroviário na Represa Billings, em São Paulo SP 15/04/2024
Justiça autoriza Transporte Hidroviário na Represa Billings, em São Paulo SP
 
ABORDAGENS POLICIAIS - STF considera ilegal o Perfilamento Racial 12/04/2024
ABORDAGENS POLICIAIS - STF considera ilegal o Perfilamento Racial
 
STF reconhece que Estado deve indenizar Vítimas de Bala Perdida 12/04/2024
STF reconhece que Estado deve indenizar Vítimas de Bala Perdida
 
MORAES nega pedido para isentar X no Brasil de Ordens Judiciais 09/04/2024
MORAES nega pedido para isentar X no Brasil de Ordens Judiciais
 
CASO ELON MUSK - Se houver descumprimento, qualquer coisa a ser feita, será feita no processo, afirmou Barroso 11/04/2024
CASO ELON MUSK - Se houver descumprimento, qualquer coisa a ser feita, será feita no processo, afirmou Barroso
 
JULGAMENTO DE MORO - Maioria do TRE-PR vota contra Cassação 09/04/2024
JULGAMENTO DE MORO - Maioria do TRE-PR vota contra Cassação
 
FUGITIVOS DA PENITÊNCIÁRIA  em Mossoró são recapturados no Pará 04/04/2024
FUGITIVOS DA PENITÊNCIÁRIA em Mossoró são recapturados no Pará
 
CASSAÇÃO DE MORO - Desembargadora 04/04/2024
CASSAÇÃO DE MORO - Desembargadora "Pede Vistas" após empate do julgamento
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites