Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

27 de Novembro de 2020 as 14:11:09



JUROS LÁ EM CIMA - Cartão de Crédito a 317,5% e Crédito Pessoal a 71% aa



Empresas e pessoas físicas pagam juros mais altos em outubro, diz BC
 
Taxa média de juros para as famílias chegou a 38,9% ao ano
 
As empresas e famílias pagaram juros mais altos nas operações de crédito em outubro, informou nesta 6ª feira, 27.11, o Banco Central (BC), ao divulgar as Estatísticas Monetárias e de Crédito.
 
Crédito Livre: PF, 38,9%aa e Empresas, 12%aa
 
A taxa média de juros para as pessoas físicas no crédito livre chegou a 38,9% ao ano, aumento de 0,9 ponto percentual em relação a setembro.
 
Já a taxa média das empresas ficou em 12% ao ano, alta de 0,5 ponto percentual na comparação com o mês anterior.
 
Segundo o chefe do Departamento de Estatísticas do BC, Fernando Rocha, depois de um longo período de redução de taxas, as instituições financeiras elevaram os juros em outubro, mas ainda não é possível saber se a alta é uma tendência.
 
“Esse movimento, pelas estatísticas que temos até agora, foi pontual. Não temos elementos para falar se a tendência será de aumento ou de retorno para o nível de setembro”, 
 
disse.
 
Crédito Pessoal: 77,1%
 
A taxa do crédito pessoal (não consignado) chegou a 77,1% ao ano, com aumento de 7,6 pontos percentuais em relação a setembro. Os juros do crédito consignado subiram 0,7 ponto percentual para 19,2% ao ano.
 
Cartão de Crédito: 317,5% aa
 
Os juros médios do rotativo do cartão de crédito também subiram. A taxa chegou a 317,5% ao ano, com alta de 7,8 pontos percentuais. No caso do rotativo regular, quando o cliente paga pelo menos o valor mínimo da fatura, a taxa chegou a 285,7% ao ano, alta de 17,6 pontos percentuais. A taxa do rotativo não regular chegou a 339,4% ao ano, aumento de 2,6 pontos percentuais em relação ao mês anterior.
 
Cheque Especial
 
Já a taxa do cheque especial ficou em 112,9 % ao ano, queda de 1,1 ponto percentual em relação ao mês anterior.
 
Essas taxas são do crédito livre, em que os bancos têm autonomia para emprestar o dinheiro captado no mercado e definir as taxas de juros cobradas dos clientes. 
 
Já o crédito direcionado tem regras definidas pelo governo, e é destinado, basicamente, aos setores habitacional, rural, de infraestrutura e ao microcrédito.
 
Crédito Direcionado
 
No caso do crédito direcionado, a taxa média para pessoas físicas caiu 0,1 ponto percentual para 6,9% ao ano. Para as empresas, a taxa subiu 1 ponto percentual para 7,7% ao ano.
 
Inadimplência
 
A inadimplência - considerados atrasos acima de 90 dias - das famílias e das empresas, no crédito livre, recuou 0,1 ponto percentual para 4,5% e 1,5%, respectivamente.
 
No crédito direcionado, a inadimplência recuou 0,1 ponto percentual para as famílias, ficando em 1,3%. Para as empresas, também caiu 0,1 ponto percentual e chegou a 1,4%.
 
Operações de Crédito: R$ 3,87 Trilhões
 
O saldo total das operações de crédito do sistema financeiro alcançou R$ 3,872 trilhões em outubro, crescendo 1,4% no mês, com aumentos de 1,7% em pessoas físicas (saldo de R$ 2,2 trilhões) e de 1% na carteira de pessoas jurídicas (saldo de R$ 1,7 trilhão).
 
“Em 12 meses, o crescimento da carteira total acelerou de 13,4% para 14,5%, resultado de expansões nos créditos às empresas (de 18,9% para 21,1%) e às famílias (de 9,4% para 9,8%)”,
 
disse o BC.
 
Crédito Livre: PJ, R$ 1,05 Trilhão; PF, R$ 1,2 Trilhão
 
O crédito livre para pessoas jurídicas totalizou R$ 1,049 trilhão, com aumentos de 0,8% no mês e de 25,2% em 12 meses. O BC destaca as operações de capital de giro acima de um ano, aquisição de veículos e repasses externos (devido à variação cambial).
 
O saldo do crédito livre a pessoas físicas alcançou R$ 1,2 trilhão, após elevações de 1,9% no mês e de 9,3% em 12 meses, com aumentos em crédito pessoal consignado e não consignado, cartão à vista e financiamentos de veículos.
 
Crédito Livre: PJ, R$ 664 Bilhões; PF, R$ 982 Bilhões
 
Segundo o BC, no crédito direcionado, a carteira de pessoas jurídicas alcançou R$ 664 bilhões em outubro, com elevações de 1,4% no mês e de 15,2% em 12 meses,
 
“refletindo a expansão em outros créditos direcionados (8% no mês e 121% em 12 meses), devido aos programas de apoio a micro, pequenas e médias empresas criados para combater os efeitos da pandemia” [de covid-19]. 
 
O saldo com pessoas físicas alcançou R$ 982 bilhões, aumentos de 1,3% e de 10,4% nas mesmas bases de comparação, prosseguindo as expansões em crédito rural e financiamento imobiliário.


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
FIPE-USP Reajustes Salariais ficaram abaixo da Inflação 23/01/2021
FIPE-USP Reajustes Salariais ficaram abaixo da Inflação
 
DÓLAR sobe 2,14% a R$ 5,479 nesta 6ª; IBOVESPA cai a 117.513 pts 22/01/2021
DÓLAR sobe 2,14% a R$ 5,479 nesta 6ª; IBOVESPA cai a 117.513 pts
 
MONITOR DO PIB aponta alta de 1,1% em novembro, segundo o Ibre/FGV 21/01/2021
MONITOR DO PIB aponta alta de 1,1% em novembro, segundo o Ibre/FGV
 
DÓLAR fecha a R$ 5,36 nesta 5ª feira. IBOVESPA cai1,1% a 118.329 pts 21/01/2021
DÓLAR fecha a R$ 5,36 nesta 5ª feira. IBOVESPA cai1,1% a 118.329 pts
 
COPOM mantém juros básicos SELIC em 2% ao ano, neste janeiro/2021 21/01/2021
COPOM mantém juros básicos SELIC em 2% ao ano, neste janeiro/2021
 
COPOM  inicia 1ª Reunião do ano para definir Juros Básicos SELIC 20/01/2021
COPOM inicia 1ª Reunião do ano para definir Juros Básicos SELIC
 
DÓLAR sobe a 5,345 e IBOVESPA cai a 120.636 pontos 20/01/2021
DÓLAR sobe a 5,345 e IBOVESPA cai a 120.636 pontos
 
MARKET UPDATE SEMANAL 15.01.2021: Inflação, Varejo, Seriços 19/01/2021
MARKET UPDATE SEMANAL 15.01.2021: Inflação, Varejo, Seriços
 
DÓLAR estável em R$ 5,304; IBOVESPA sobe a 121.242 pts. 18/01/2021
DÓLAR estável em R$ 5,304; IBOVESPA sobe a 121.242 pts.
 
GASOLINA sobe R$ 0,15 nas Refinarias da Petrobras 18/01/2021
GASOLINA sobe R$ 0,15 nas Refinarias da Petrobras
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites