Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Quinta-Feira, Dia 01 de Outubro de 2020 as 19:30:01



OS MERCADOS - Fechamento em 01.10.2020: Programa Renda Cidadã estressa o mercado



Conexão Mercado - Fechamento em 01.10.2020
Roger Marçal, Gerente
Luiz Claudio Arraes Liberali
Rômulo Ramos Alves
do BB DIMEF Cenários Financeiros
Mercado Externo
 
Mercados iniciaram o dia esperançosos quanto à possibilidade de conclusão de uma ajuda fiscal americana, mas perderam o ímpeto no decorrer do dia, após frustração com o acordo.
 
 No exterior, no decorrer da sessão os investidores ficaram comedidos, pois diminuíram as expectativas sobre uma definição do pacote de estímulos fiscais para alavancar a economia americana impactada pela pandemia do coronavirus.
 
 O discurso da presidente da Câmara, Nancy Pelosy, de que existiria dúvidas sobre as chances de acordo com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, diminuiu o ânimo dos mercados. Ainda há expectativas p/ que as conversas sejam retomadas.
 
 Declarações de Chuck Schumer, líder do Partido Democrata no Senado, disse que não haveria entendimento entre a Câmara e a Casa Branca sobre tais estímulos à economia e a da porta voz da Casa Branca, Kayleigh McEnany, que falou que a proposta para um novo estímulo fiscal segue em US$ 1,6 trilhão, em conflito com a de Pelosi, em US$ 2,2 trilhões, contribuíram para aumentar o pessimismo dos investidores.
 
 O presidente do Fed NY, John Williams, afirmou que o trabalho da autoridade deve ser ampliado e buscando uma aproximação com outros bancos centrais.
 
 O petróleo fechou em baixa, com os investidores céticos com o ritmo de recuperação da economia global e preocupados com o equilíbrio entre oferta e demanda.
 
 Bolsas: Em NY, os principais índices fecharam em alta, apesar do pessimismo quanto à conclusão do acordo p/ pacote fiscal nos EUA. Na Europa, os índices registraram ganhos, à exceção de Frankfurt, que caiu após indicador PMI da indústria ter vindo abaixo das expectativas.
 
 Juros: as yields dos treasuries oscilaram, mas fecharam em queda, em sessão mista, garantindo alguma segurança devido às muitas incertezas ainda no cenário.
 
 Câmbio: o dólar fechou em ligeira queda contra a maioria das moedas. O DXY registrou leve baixa. Entre as emergentes, fechou misto, embora majoritariamente fraco.
 
Mercado Interno
 
Mercados impactados negativamente por impasse em programa social e continuidade das tensões fiscais
 
 No Brasil, o impasse nas discussões sobre o programa Renda Cidadã estressam os mercados, à exceção da bolsa, que se sustenta na alta das ações da Petrobras enquanto o STF realiza o julgamento sobre a venda de refinarias.
 
 Além das incertezas fiscais, os agentes continuam monitorando novos movimentos sobre a reforma tributária, principalmente após as críticas de Rodrigo Maia a Paulo Guedes em uma rede social ontem.
 
 Não obstante as preocupações com o quadro fiscal, alguns indicadores vêm apontando uma retomada do desempenho da atividade. Hoje, por exemplo, foi divulgado que a arrecadação do governo federal somou em agosto R$ 124,5 bi, contra estimativas de R$ 109 bi, de acordo com o relatório da Receita Federal.
 
 Por fim, o Tesouro ampliou a oferta de papéis mais longos, indo contra as expectativas dos investidores, que aguardavam uma concentração nos curtos, pressionando também a curva DI.
 
 Dólar: segue para fechar em alta, cotado próximo aos R$ 5,65. O real, mais uma vez, segue afetado pelos impasses fiscais e deve fechar com o pior desempenho as moedas emergentes, em dia misto da divisa americana globalmente.
 
 Juros: fecharam em alta, em sintonia com a alta do dólar, impulsionados por ruídos internos, preocupações fiscais e leilão de títulos de longo prazo do Tesouro.
 
 Ibovespa: fechou em alta, retomando o patamar de 95 mil pontos, em linha com o movimento dos pares em NY e sustentado, principalmente, na recuperação das ações da Petrobras.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise a respeito, elaborado por ROGER MARÇAL, Gerente, LUIZ CLAUDIO LIBERALI e RÔMULO RAMOS ALVES, integrantes do BB DIMEF Cenários Financeiros

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: ROGER MARÇAL, Gerente, LUIZ CLAUDIO LIBERALI e RÔMULO RAMOS ALVES, integrantes do BB DIMEF Cenários Financeiros





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
DOLAR cai a R$ 5,326 e IBOVESPA sobe a 110.575 pts 27/11/2020
DOLAR cai a R$ 5,326 e IBOVESPA sobe a 110.575 pts
 
GUIA DE AÇÕES, 24.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 25/11/2020
GUIA DE AÇÕES, 24.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 20.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 23/11/2020
GUIA DE AÇÕES, 20.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
MARKET UPDATE Semanal de 14 a 20.11.2020 Dados Recentes da Atividade Econômica nos Principais Países 21/11/2020
MARKET UPDATE Semanal de 14 a 20.11.2020 Dados Recentes da Atividade Econômica nos Principais Países
 
GUIA DE AÇÕES, 19.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 20/11/2020
GUIA DE AÇÕES, 19.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 18.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 19/11/2020
GUIA DE AÇÕES, 18.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
AZUL - Resultado no 3º trimestre/2020: NEUTRO 17/11/2020
AZUL - Resultado no 3º trimestre/2020: NEUTRO
 
GUIA DE AÇÕES, 13.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 16/11/2020
GUIA DE AÇÕES, 13.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
PERU busca 3º presidente em uma semana para tentar sair de crise 17/11/2020
PERU busca 3º presidente em uma semana para tentar sair de crise
 
GUIA DE AÇÕES, 16.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir 17/11/2020
GUIA DE AÇÕES, 16.11.2020: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convém investir
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites