Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

11 de Março de 2020 as 23:09:35



O MERCADO, 11.03: IBOVESPA cai 7,64% a 85.171pts. DÓLAR sobe a R$ 4,722



Diário do Mercado na 4ª feira, 11.03.2020
 
“Efeito coronavírus” dissemina quedas nas bolsas pelo mundo
 
Comentário.
 
O Ibovespa sucumbiu à deblace generalizada dos mercados acionários pelo mundo, tendo sido acionado o “circuit breaker” (quando cai mais de 10%) no meio da tarde. A OMS (Organização Mundial de Saúde) declarou pandemia do covid-19 (doença espalhada mundialmente e com transmissão entre indivíduos) e citou que o o número de pessoas infectadas, de mortes e de países impactados deverá se elevar nos próximos dias e semanas.
 
A quantidade de casos continua a crescer fora da China, inclusive nos EUA. A chanceler alemã, Angela Merkel, alertou que 70% da população da Alemanha poderá ser contaminada. A Índia proibiu a entrada de turistas estrangeiros a partir da próxima 6ª feira, 13.03, e o governo italiano já colocou o país inteiro em quarentena.
 
De outra mão, o Banco da Inglaterra (BoE) cortou a sua taxa de juros em 50 pts-base, para 0,25% a.a., em uma tentativa de impulso econômico.Já a Arábia Saudita aumentou sua produção de petróleo e tornou a derrubar os preços do produto.
 
O temor dos agentes é que mesmo as medidas de estímulos que possam ser adotadas pelos países não surtam tanto efeito. Neste cenário, em Nova York, os índices das bolsas já seguiram no caminho do “bear market” (quando passam a operar em campo de tendência de baixa).
 
Em suma, a aversão ao risco prosseguiu sua escalada, com o Vix Index terminando em 53,90 pts versus 47,30 pts da véspera. Vale ressaltar que, costumeiramente, o mercado cai mais pela incerteza do que pelo fato concreto. 
 
O dólar comercial alcançou novo recorde, fechando cotado a R$ 4,7220 (+1,61%). Os juros futuros tiveram vigorosas elevações, elevando também a inclinação de sua curva a termo.  
 
Ibovespa.
 
O índice cedeu após sua abertura e foi progressivamente decaindo ao longo pregão, até ser acionado o “circuit breaker”, aos 82.887 pts (-10,11%), às 15h14min. Depois, cedeu um pouco mais, mas recuperou um pouco de terreno com a zeragem de posições intradiárias na meia hora final de negócios.
 
O Ibovespa fechou aos 85.171pts (-7,64%), passando a acumular -13,09% na semana, -18,24% no mês, -26,35% ano e -13,11% em 12 meses. O preliminar giro financeiro da Bovespa foi de R$ 34,4 bilhões, sendo R$ 29,8 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa B3
 
Sem dados de fluxo estrangeiro no dia.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o IPCA variou +0,25% em fevereiro ante +0,21% em janeiro – consenso em +0,15%, sendo a menor taxa para este meses desde 2000. O indicador passou a acumular +0,46% no ano e +4,01% em 12 meses.
 
O grupo educação foi a maior contribuição possitva, oscilando +3,70% (+0,16% em janeiro), com impacto de 0,23 p.p. no índice geral; seguido por Saúde e Cuidados Pessoais, que subiu +0,73% (-0,32% em janeiro), participando com 0,10 p.p. no índice geral.  
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar comercial (interbancário) manteve sua tendência de alta, que começou em 9 de janeiro deste ano e ganhou força a partir de 20 de fevereiro. O Banco Central vem efetuando leilões de moeda à vista e de swap cambial (venda futura), mas o panorama externo adverso, com elevação da versão ao risco, tem induzido os agentes a procurarem “proteção” e a cotação prossegue avançando.
 
A moeda fechou a R$ 4,7220 (+1,61%), acumulando +1,92% na semana, +5,45% no mês, +17,10% no ano e +22,97% em 12 meses.
 
Risco-País
 
O risco-país (CDS Brasil de 5 anos) subiu a 218 pts ante 180 pts anterior. 
 
Juros.
 
Os juros futuros dispararam, elevando tanto a sua curva de estrutura a termo, como a sua inclinação para cima. A escalada do dólar foi o motivador do comportamento no dia. Assim findaram os contratos sobre a véspera:
 
DI janeiro/2021 em 4,22% de 3,90%;
DI janeiro/2022 em 5,03% de 4,52%;
DI janeiro/2023 em 5,92% de 5,22%;
DI janeiro/2024 em 6,52% de 5,81%;
DI janeiro/2025 em 6,89% de 6,19%;
DI janeiro/2027 em 7,60% de 6,84%.
 
Agenda. vide página 3 do anexo
 
Empresas. Calendário de Balanços de Empresas 4T19 – vide página 4.
 
Confira no anexo  íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 4ª feira, 11.03.2020, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
BRASKEM - Resultado no 4º trimestre de 2019: NÚMEROS NEGATIVOS 09/04/2020
BRASKEM - Resultado no 4º trimestre de 2019: NÚMEROS NEGATIVOS
 
O MERCADO, 08.04: IBOVESPA sobe 2,97% a 78.624 pts. DÓLAR cai a R$ 5,142 09/04/2020
O MERCADO, 08.04: IBOVESPA sobe 2,97% a 78.624 pts. DÓLAR cai a R$ 5,142
 
O MERCADO, 07.04: IBOVESPA sobe 3,08% a 76.358 pts DÓLAR cai a R$ 5,228 08/04/2020
O MERCADO, 07.04: IBOVESPA sobe 3,08% a 76.358 pts DÓLAR cai a R$ 5,228
 
O MERCADO, 06.04: IBOVESPA reage com NY. Dólar cai a R$ 5,290 07/04/2020
O MERCADO, 06.04: IBOVESPA reage com NY. Dólar cai a R$ 5,290
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 03.04 Avalie se convém Investir 04/04/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 03.04 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 03.04: BOVESPA cai 3,76% a 69.537 pts, DÓLAR sobe a R$ 5,325 04/04/2020
O MERCADO, 03.04: BOVESPA cai 3,76% a 69.537 pts, DÓLAR sobe a R$ 5,325
 
O MERCADO, 02.04: IBOVESPA sobe 1,81% a 72.253 pts. DÓLAR sobe a R$ 5,260 03/04/2020
O MERCADO, 02.04: IBOVESPA sobe 1,81% a 72.253 pts. DÓLAR sobe a R$ 5,260
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 02.04 Avalie se convém Investir 03/04/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 02.04 Avalie se convém Investir
 
DÓLAR sobe e aproxima-se de R$ 5,27 02/04/2020
DÓLAR sobe e aproxima-se de R$ 5,27
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 01.04 Avalie se convém Investir 01/04/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 01.04 Avalie se convém Investir
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites