Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Sexta-Feira, Dia 28 de Fevereiro de 2020 as 15:02:29



AMBEV - Resultados no 4º trimestre/2019: Fracos



AMBEV - Resultado no 4º trimestre/2019
 
Resultados Fracos e baixas perspectivas de recuperação no curto prazo 
 
A Ambev divulgou na 5ª feira, 27.02, resultados fracos do 4T19, em nossa opinião, e decepcionou o mercado que reagiu adversamente, pressionando a ABEV3 para baixo em ~ 8%.
 
Embora os volumes estejam alinhados com nossas estimativas (+ 3% a/a), pela primeira vez em dois anos, vimos uma queda na receita líquida / hl a/a, indicando que o ambiente competitivo acirrado para Ambev, especialmente no Brasil, permanece. Por esse motivo, a receita caiu 1% a/a para R$ 16 bilhões. 
 
Ao mesmo tempo, os custos mais altos com commodities e variação cambial impactaram negativamente o EBITDA, que caiu 9% a/a para R$ 6,9 bilhões (5% abaixo de nossas estimativas e 2% abaixo do consenso), enquanto a margem caiu de 47,6% para 43,7% no mesmo trimestre do ano anterior.
 
Em nossa opinião, a Ambev pode continuar enfrentando um cenário desafiador à frente, considerando: 
 
(i)   um ambiente competitivo mais difícil no Brasil; 
(ii)  o contexto macro desfavorável contínuo na Argentina; e 
(iii) variação cambial e preços de commodities pressionando margens. 
 
De fato, a empresa mencionou em sua teleconferência de resultados que a pressão de custo poderá atingir um pico no 1T. 
 
Tudo considerado, já que esperamos maior visibilidade das iniciativas de inovação em volumes e mais clareza na estratégia de preços da empresa nos resultados, continuamos conservadores quanto ao nome e mantemos nosso rating em Market Perform.
 
Destaques operacionais. 
 
Na Cerveja Brasil, ainda houve impacto da estratégia de desconto dos concorrentes ocorrida no terceiro trimestre. Como resultado, os volumes aumentaram 1,4%, enquanto os preços caíram levemente, levando a receita a R$ 7,6 bilhões (+ 1% a/a). No entanto, o EBITDA foi novamente impactado pelo aumento dos custos devido ao aumento dos preços das commodities e variação câmbio e caiu 13% a/a para R$ 3,4 bilhões, com margem de 44,9% vs. 52% no 4T18. 
 
O segmento de Não Alcoólicos, por sua vez, seguiu a tendência positiva observada no 3T19 em termos de volume (+ 16% a/a), que compensou totalmente a queda de 3% a/a nos preços e levou a receita a crescer 13% a/a para R$ 1,3 bilhão.
 
Além do desempenho positivo de vendas, tendo em vista uma base de comparação fácil no 4T18, a unidade apresentou custos menores a/a que levaram o EBITDA a um aumento de 52% a/a, atingindo R$ 603 milhões, com margem de 45,3 % vs. 33,7% no 4T18.
 
Unidades internacionais. 
 
O CAC continuou a mostrar resultados consistentes. No 4T19, o volume cresceu 4% a/a enquanto os preços subiram 9% a/a, aumentando a receita para R$ 1,9 bilhão, um aumento de 14% a/a.
 
Além disso, a unidade também reportou um CPV/hl mais baixo devido a uma base de comparação fácil, o que levou o EBITDA a um aumento de 23% a/a para R$ 885 milhões, enquanto a margem ficou em 45,3%, ante 41,9% no 4T18. LAS, por outro lado, ficou bem abaixo de nossas estimativas devido à menor receita líquida/hl, que reduziu a receita para R$ 3,2 bilhões (-18% a/a). 
 
Também contribuindo negativamente para o desempenho da unidade, observamos custos mais altos relacionados à variação cambial e ao ambiente desfavorável na Argentina, Bolívia e Chile, pressionando margens que chegaram a 46,9%, ante 51,5% no mesmo período do ano anterior.
 
O Canadá reportou resultados fracos, como esperado, devido a volumes mais baixos (-1,5% a/a), aumento dos preços de commodities e maior mix de cervejas importadas, o que impactou adversamente o EBITDA que caiu 11% a/a, para R$ 517 milhões, com margem de 29,3% (-560 pb).
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do desempenho da AMBEV no 4º trimestre/2019, elaborado por LUCIANA CARVALHO, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: LUCIANA CARVALHO, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 27.03 Avalie se convém Investir 27/03/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 27.03 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 27.03: IBOVESPA cai 5,51% a 73.428 pts. DÓLAR sobe a R$ 5,106 27/03/2020
O MERCADO, 27.03: IBOVESPA cai 5,51% a 73.428 pts. DÓLAR sobe a R$ 5,106
 
VIA VAREJO - Resultado no 4º trimestre/2019: POSITIVO 27/03/2020
VIA VAREJO - Resultado no 4º trimestre/2019: POSITIVO
 
JBS  Resultado no 4º Trimestre /2019  ROBUSTO, POSITIVO 27/03/2020
JBS Resultado no 4º Trimestre /2019 ROBUSTO, POSITIVO
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 26.03 Avalie se convém Investir 26/03/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 26.03 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 26.03: IBOVESPA sobe 3,67% a 77.709 pts DÓLAR caiu a R$ 4,998 26/03/2020
O MERCADO, 26.03: IBOVESPA sobe 3,67% a 77.709 pts DÓLAR caiu a R$ 4,998
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 25.03 Avalie se convém Investir 25/03/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 25.03 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 25.03: IBOVESPA sobe 7,5% a 74.955 pts DÓLAR cai R$ 5,032 25/03/2020
O MERCADO, 25.03: IBOVESPA sobe 7,5% a 74.955 pts DÓLAR cai R$ 5,032
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 24.03 Avalie se convém Investir 25/03/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 24.03 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 24.03: IBOVESPA sobe 9,69% a 69.729 pts DÓLAR cai a R$ 5,082 25/03/2020
O MERCADO, 24.03: IBOVESPA sobe 9,69% a 69.729 pts DÓLAR cai a R$ 5,082
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites