Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Economia e Finanças

17 de Janeiro de 2020 as 21:01:02



INDÚSTRIA - Utilização da Capacidade Instalada sobe a 78,2%, diz a CNI



 
O nível de utilização da capacidade instalada da indústria brasileira subiu para 78,2% em novembro de 2019, na série dessazonalizada (ajustada para o período). Com o aumento de 0,3 ponto percentual em relação a outubro, o indicador atingiu o maior nível desde agosto de 2018.
 
As informações estão na pesquisa Indicadores Industriais, divulgada pela CNI Confederação Nacional da Indústria, na 6ª feira, 17.01.
 
De acordo com a entidade, a utilização da capacidade instalada deve fechar 2019 com resultado positivo, apesar do ritmo de crescimento da indústria “frustrante”, especialmente no início de 2019.
 
Segundo a CNI, o faturamento, o emprego e as horas trabalhadas na produção devem ter fechado o ano com pequenas quedas na comparação com a média de 2018.
 
 
Salários
 
A massa salarial e o rendimento médio do trabalhador devem ter quedas mais acentuadas, diz a entidade.
 
A expectativa do setor é que a indústria inicie 2020 mantendo a tendência de recuperação do segundo semestre.
 
Os Indicadores Industriais mostram que, depois de cinco altas consecutivas, o faturamento real do setor caiu 0,6% em novembro frente a outubro, nos dados dessazonalizados. De acordo com a CNI, a queda é bem inferior ao crescimento acumulado nos cinco meses anteriores, de 4,3%.
 
O resultado não representa uma reversão da recuperação dos últimos meses, mas, possivelmente, uma acomodação no ritmo de crescimento. No acumulado de janeiro a novembro, o faturamento registra queda de 0,9%.
 
Pelo segundo mês consecutivo, as horas trabalhadas na produção ficaram estáveis em relação ao mês anterior na série dessazonalizada. No acumulado de janeiro a novembro frente ao mesmo período de 2018, recuaram 0,4%.
 
O emprego também permaneceu estável em novembro em relação a outubro e, no acumulado de janeiro a novembro, apresentou queda de 0,3% na comparação como o mesmo período de 2018.
 
Massa de Salarios
 
A massa real de salários caiu 0,1% e o rendimento médio do trabalhador recuou 0,3% em novembro frente a outubro, na série livre de influências sazonais. Os dois indicadores são os que registram as maiores retrações no acumulado do ano.
 
De janeiro a novembro de 2019, a massa real de salários diminuiu 1,5% e o rendimento médio real do trabalhador teve queda de 1,3%.


Fonte: AGENCIA BRASIL

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
MARKET UPDATE Câmbio Juros Varejo Serviços e Atividade Econômica 15/02/2020
MARKET UPDATE Câmbio Juros Varejo Serviços e Atividade Econômica
 
DESESTATIZAÇÃO rende R$ 29,5 BI em janeiro. E R$ 105 BI em 2019. 14/02/2020
DESESTATIZAÇÃO rende R$ 29,5 BI em janeiro. E R$ 105 BI em 2019.
 
INSS divulga Novos Valores dos Benefícios 15/01/2020
INSS divulga Novos Valores dos Benefícios
 
RECEITA abre consulta ao Lote Residual de IR na 2ª feira 09/02/2020
RECEITA abre consulta ao Lote Residual de IR na 2ª feira
 
CHORADEIRA DA CNI contra retorno do ICMS sobre exportações 09/02/2020
CHORADEIRA DA CNI contra retorno do ICMS sobre exportações
 
DÓLAR ultrapassa R$ 4,28 e fecha no maior nível desde criação do real 07/02/2020
DÓLAR ultrapassa R$ 4,28 e fecha no maior nível desde criação do real
 
IPEA - Investimentos recuaram 1% em novembro 14/01/2020
IPEA - Investimentos recuaram 1% em novembro
 
IPEA registra recuo de 2% nos investimentos em dezembro 07/02/2020
IPEA registra recuo de 2% nos investimentos em dezembro
 
CESTA BÁSICA - Custo sobe em 11 capitais, diz DIEESE 07/02/2020
CESTA BÁSICA - Custo sobe em 11 capitais, diz DIEESE
 
COPOM reduz juros básicos para 4,25% ao ano 05/02/2020
COPOM reduz juros básicos para 4,25% ao ano
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites