Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

13 de Janeiro de 2020 as 23:01:24



O MERCADO, 13.01: IBOVESPA sobe 1,58% a 117.325 pTS. DÓLAR subiu a a R$ 4,141



Diário de Mercado na 2ª feira,13.01.2020
 
Relações mais amenas entre EUA e China emitem sinal positivo para os mercados globais  
 
Comentário.
 
Os agentes vêm renovando seu otimismo com a primeira fase do acordo comercial entre EUA e China, a ser celebrado nesta semana, e reagiram de modo positivo à sinalização de que o governo norte-americano poderá retirar a China da lista dos países que manipulam o câmbio.
 
Com isso, as maiores Bolsas internacionais subiram, o dólar se valorizou frente às principais moedas e os juros dos títulos do Tesouro dos EUA se elevaram, em linha com um recuo da busca por proteção e com o abrandamento do índice de volatilidade VIX.
 
Internamente, a Bovespa também se valorizou, retomando alta após 6 dias de quedas, enquanto os juros futuros se elevaram na ponta longa, acompanhando o dólar, e os curtos oscilam em dúvida, diante de novos cenários para a inflação e para a próxima decisão do Copom.
 
Perante o real, a alta do dólar se mostrou mais intensa que o observado em outras moedas, mas os operadores não formaram opinião única sobre sua motivação, no dia de hoje, prevalecendo uma menor atratividade do País, em relação aos diferenciais de juros.
 
Ibovespa.
 
O índice iniciou o dia em alta e se manteve positivo até o fechamento, encerrando o pregão em valorização, aos 117.325 pontos (+1,58%), acumulando +4,23% em um mês e +25,27% em 12 meses.
 
Entre as altas, as siderúrgicas seguiram o movimento iniciado no dia anterior, beneficiadas pelas expectativas com o acordo comercial entre EUA e China, enquanto a alta das companhias varejistas acompanhou as apostas de corte de juros no próximo Copom, no aguardo da divulgação das vendas no varejo, agendada para esta semana. Suzano, por sua vez, acompanhou a perspectiva de um possível recuo das exportações de celulose da Austrália para a China. Em queda, a ação da Petrobras repercute questões sobre o preço da gasolina e seguradoras recuam, em face da estimativa de Selic menor em fevereiro.
 
O giro financeiro preliminar da Bovespa totalizou R$ 21,9 bilhões. No dia 9 de janeiro (último dado disponível), a Bovespa registrou saída líquida de capital estrangeiro no total de R$ 614,498 milhões. Neste mês de janeiro, o fluxo líquido de estrangeiros está negativo, em R$ 3,679 bilhões. Em 2019, a saída líquida total atingiu R$ -44,517 bilhões.
 
Agenda Econômica
 
No Brasil, o IPC Fipe Semanal registrou 0,78% na primeira quadrissemana de janeiro, praticamente dento do consenso (0,80%) e abaixo do dado anterior (1,14%). Nesta leitura, 3 dos 7 componentes do índice desaceleraram (Habitação, Alimentação e Vestuário).
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar comercial (interbancário) abriu o dia já em forte alta e acumulou novas valorizações no comportamento intradiário. A moeda encerrou cotada a R$ 4,1410 (+1,17%), acumulando +0,83% em um mês e +11,53% em 12 meses. O risco-país medido pelo CDS Brasil de 5 anos se elevou, em relação ao dia anterior, de 99 para 100 pontos.
 
Juros.
 
A curva dos juros futuros se elevou em praticamente todos os vencimentos, com volume mediano, sofrendo maior intensidade na ponta longa, seguindo a alta do dólar e a ligeira alta do CDS Brasil.  Em relação ao pregão anterior, assim fecharam: 
 
DI janeiro/2021 estável em 4,49%;
DI janeiro/2022 estável em 5,17%;
DI janeiro/2023 em 5,73% de 5,70%;
DI janeiro/2025 em 6,45% de 6,13%;
DI janeiro/2027 em 6,82% de 6,75%.
 
Agenda.
 
Brasil: IPC Fipe Semanal, volume do setor de serviços, vendas a varejo, IPC-S, IGP-10, Índice de atividade econômica IBC-Br.
 
EUA: IPC, Índice Empire State, Livro Bege, vendas a varejo, estoques das empresas, produção industrial, Sentimento da Universidade de Michigan, ofertas de empregos JOLTS.
 
China: investimento estrangeiro direto, balança comercial, vendas a varejo, produção industrial, PIB.
 
Zona do Euro: produção industrial, IPC.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamento do mercado na 2ª feira, 13.01.2020, elaborado por RENADO ODO, CNPI-P, e HENRIQUE TOMAZ DE AQUINO, CFA, integrantes do BB Investimentos.

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RENADO ODO, CNPI-P, e HENRIQUE TOMAZ DE AQUINO, CFA, integrantes do BB Investimentos.

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
OS MERCADOS - Fechamento em 23.09.2020: Muita Volatilidade 24/09/2020
OS MERCADOS - Fechamento em 23.09.2020: Muita Volatilidade
 
GUIA DE AÇÕES, 22.09: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convem investir. 23/09/2020
GUIA DE AÇÕES, 22.09: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convem investir.
 
O MERCADO AGORA - 23.09.2020: Seção Volátil, Mercados miram Cena Externa 23/09/2020
O MERCADO AGORA - 23.09.2020: Seção Volátil, Mercados miram Cena Externa
 
OS MERCADOS FECHAMENTO em 22.09.2020: Alta Volatilidade 22/09/2020
OS MERCADOS FECHAMENTO em 22.09.2020: Alta Volatilidade
 
OS MERCADOS - Fechamento em 21.09.2020: Aversão ao Risco Domina Mercados 21/09/2020
OS MERCADOS - Fechamento em 21.09.2020: Aversão ao Risco Domina Mercados
 
O MERCADO  AGORA 22.09.2020 VOLATILIDADE COM CAUTELA 22/09/2020
O MERCADO AGORA 22.09.2020 VOLATILIDADE COM CAUTELA
 
CONEXÃO MERCADO – Abertura dos Mercados – 22.09.2020 22/09/2020
CONEXÃO MERCADO – Abertura dos Mercados – 22.09.2020
 
GUIA DE AÇÕES, 21.09: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convem investir. 22/09/2020
GUIA DE AÇÕES, 21.09: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convem investir.
 
GUIA DE AÇÕES, 17.09: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convem investir. 18/09/2020
GUIA DE AÇÕES, 17.09: VEJA AQUI AS COTAÇÕES. Avalie se convem investir.
 
MERCADOS - Fechamento  em 18.09.2020: Mercado Interno e Externo 19/09/2020
MERCADOS - Fechamento em 18.09.2020: Mercado Interno e Externo
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites