Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

13 de Dezembro de 2019 as 02:12:40



O MERCADO, 12.12: R$ 2,9 BI líquidos em Capitais Externos já deixaram a Bolsa em Dezembro; R$ 42 BI no ano.



Diário do Mercado na 5ª feira, 12.12.2019
 
Ibovespa tem novo recorde e índices de Nova York também 
 
Comentário.
 
O índice brasileiro bateu novo recorde histórico de pontuação, impulsionado tanto por perspectivas econômicas domésticas auspiciosas, como pelo melhor humor externo.
 
Os recentes índices divulgados do País corroboram a visão que a economia brasileira já saiu da estagnação e principiou um novo ciclo de crescimento. E também houve repercussão positiva da postura do Banco Central do dia anterior, que baixou a taxa Selic em 50 pts-base, para seu piso histórico de 4,50% a.a. – após os mercados estarem fechados – e não frisou que o ciclo de afrouxamento monetário havia se encerrado (próxima decisão em 5 de janeiro de 2020).
 
Externamente, houve continuidade da percepção favorável da véspera com o comunicado do Fed, após o órgão ter mantido inalterado os juros e com visão que assim permanecerá ao longo do próximo ano, além de um discurso ameno de seu presidente, Jerome Powell. Mais ainda, no dia, rumores que os EUA e a China já haviam chegado a um consenso para fechar o acordo comercial inicial (“fase 1”) fomentou o apetite dos investidores por mercados acionários.
 
Neste panorama, os índices S&P500 e Nasdaq encerraram também em recordes históricos e o Dow Jones bem próximo ao seu nível máximo. Vale lembrar a agência internacional de rating S&P manteve a classificação soberana do Brasil em BB- (não grau de investimento), mas passou sua expectativa de estável para positiva, baseado nas reformas e entendimento de avanço em fundamentos.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0920 (-0,82%). Os juros futuros curtos até uma parte dos intermediários caíram; outra parte ficou quase estável e os longos baixaram.
 
Ibovespa.
 
O índice abriu avançando e pouco depois do meio dia passou a girar com curtas variações ao redor de 112 mil pts (+0,93%). Na hora e meia final de negócios, ampliou sua alta.
 
O Ibovespa fechou aos 112.199 pts (+1,11%), acumulando +0,97% na semana, +3,66% no mês, +27,66% no ano e +29,00% em 12 meses. O robusto preliminar giro financeiro da Bovespa foi de R$ 21,6 bilhões, sendo R$ 19,1 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 10 de dezembro (último dado disponível), a Bovespa teve retirada líquida de -R$ 1,543 bilhão de capital estrangeiro, contabilizando saldo negativo de -R$ 2,961 bilhões no mês. Em 2019, a retirada líquida passou a -R$ 42,217 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o volume do setor de serviços variou +0,8% em outubro (com ajuste sazonal) ante setembro. Já em relação a outubro de 2018, o indicador avançou +2,7% versus +1,4% de setembro-2019/setembro-2018. A expansão acumulada nos dez primeiros meses do ano e nos últimos 12 meses passaram a +0,8%.
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar comercial (interbancário) teve nova baixa, refletindo o comportamento externo e a visão doméstica favorável com a economia.
 
A moeda terminou cotada a R$ 4,0920 (-0,63%),  acumulando -1,30% na semana, -3,49% no mês, +5,60% no ano e +6,09% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos cedeu para 103 pts versus em 110 pts da véspera.
 
Juros.
 
Os juros futuros curtos até o início da parte intermediária da curva caíram; a parte média subsequente ficou praticamente inalterada; já as taxas longas também recuaram.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos:
 
DI janeiro/2020 em 4,40% de 4,49%;
DI janeiro/2021 em 4,54% de 4,62%;
DI janeiro/2022 em 5,20% de  5,23%;
DI janeiro/2023 em 5,75% de 5,74%;
DI janeiro/2025 em 6,34% de 6,35%;
DI janeiro/2027 em 6,68% de 6,70%.
 
Agenda.
 
Brasil: Índice de atividade econômica;
 
EUA: Vendas no varejo; zona do euro: BCE - decisão de juros;
 
China: Prod. industrial; Vendas no varejo.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de analise do comportamento do mercado na 5ª feira, 12.12.2019. elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos.

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 22.01: IBOVESPA sobe 1,17% a 118.391 pts, DÓLAR cai a R$ 4,175 23/01/2020
O MERCADO, 22.01: IBOVESPA sobe 1,17% a 118.391 pts, DÓLAR cai a R$ 4,175
 
O MERCADO, 21.01: IBOVESPA cai 1,54% a 117.026 pts DÓLAR sobe a R$ 4,205 22/01/2020
O MERCADO, 21.01: IBOVESPA cai 1,54% a 117.026 pts DÓLAR sobe a R$ 4,205
 
DÓLAR fecha no maior valor do ano: R$ 4,206 22/01/2020
DÓLAR fecha no maior valor do ano: R$ 4,206
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 20.01, 2ª feira. Avalie se convém Investir 21/01/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 20.01, 2ª feira. Avalie se convém Investir
 
MARKET UPDATE - Destaques na Economia - 17.01.2020 18/01/2020
MARKET UPDATE - Destaques na Economia - 17.01.2020
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.01, 6ª feira. Avalie se convém Investir 18/01/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 17.01, 6ª feira. Avalie se convém Investir
 
RENDA FIXA - O Mercado Secundário de Debêntures sob Ótíca do Retorno em 17.01.2010 18/01/2020
RENDA FIXA - O Mercado Secundário de Debêntures sob Ótíca do Retorno em 17.01.2010
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 16.01 Avalie se convém Investir 16/01/2020
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 16.01 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 14.01: IBOVESPA sobe 0,26% a 117.632 pts. DÓLAR caiu 0,29% a R$ 4,129 14/01/2020
O MERCADO, 14.01: IBOVESPA sobe 0,26% a 117.632 pts. DÓLAR caiu 0,29% a R$ 4,129
 
O MERCADO, 15.01: IBOVESPA cai 1,04% a 116.414 pts. DÓLAR sobe 1,31% a R$ R$ 4,183 15/01/2020
O MERCADO, 15.01: IBOVESPA cai 1,04% a 116.414 pts. DÓLAR sobe 1,31% a R$ R$ 4,183
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites