Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

22 de Novembro de 2019 as 23:15:54



O MERCADO, 22.11: IBOVESPA acumula 2,0% na semana DÓLAR estável em R$4,192



Diário do Mercado na 6ª feira, 22.11.2019
 
Ibovespa ratifica ritmo ascendente e torna a fechar na máxima do dia
 
Comentário.
 
O índice brasileiro foi catapultado por recomendações favoráveis de agentes internacionais, tendo a melhor performance semanal (+2,00%) entre os vinte maiores mercados acionários pelo mundo, após duas semanas de quedas, bem como tornou a se aproximar de seu recorde histórico de fechamento. Internamente, o IPCA-15 mostrou que a inflação permanece baixa e controlada e induziu também baixa nas taxas de juros  futuros.
 
Externamente, declarações do presidente norte-americano, Donald Trump, que o acordo comercial entre Estados Unidos e China está bem perto de ocorrer, animaram os investidores. Já a economia dos EUA, que já vinha tendo melhores indicadores econômicos ao longo da semana, avançou mais com as divulgações do PMI manufatura e no Índice de confiança do consumidor no dia.  As bolsas de Nova York terminaram com pequenas elevações.
 
No Brasil, o dólar comercial findou cotado “de lado”, a R$ 4,1920 (-0,02%). Os juros futuros caíram como um todo, com destaque parte intermediária, que havia avançado recentemente.  
 
Ibovespa.
 
O índice denotou comportamento similar a sua trajetória da véspera: abriu e pouco depois ascendeu, passando a oscilar ao redor dos 108 mil pts (+0,47%). Na hora e meia final de negócios firmou-se acima deste patamar e subiu um pouco mais nos leilões de fechamento.
 
O Ibovespa findou aos 108.692 pts (+1,11%), acumulando +2,00% na semana, +1,37% no mês, +23,67% no ano e +24,25% em 12 meses. O preliminar giro financeiro da Bovespa foi de R$ 17,0 bilhões, tendo o mercado à vista negociado R$ 15,3 bilhões.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 19 de novembro (último dado disponível), a Bovespa apurou retirada líquida de capital estrangeiro de R$ 263,661 milhões, com a saída líquida passando a -R$ 5,063 bilhões em novembro. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado situa-se em -R$ 35,468 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o IPCA-15 (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), considerado como prévia para o índice oficial fechado do mês, variou +0,14% em novembro versus +0,09% em outubro, inferior ao consenso de +0,16%.
 
Esta foi a menor taxa para meses de novembro desde 1998 (-0,11%). Ponderadamente, as principais contribuições vieram do grupo habitação (-0,22%) desaceleração e do grupo Transportes (+0,30) para elevação, impactando em -0,04 p.p. e +0,06 p.p. o índice geral, respectivamente. O indicador passou a acumular +2,83% no ano e +2,67% em 12 meses.
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar comercial (interbancário) não sofreu grandes variações no dia, marcando trajetória menos volátil. Nos mercados, foram bem recebidas pelos investidores declarações do presidente dos EUA, Donald Trump, que um acerto comercial com a China está próximo.
 
A moeda fechou cotada a R$ 4,1920 (-0,02%), acumulando -0,02% na semana, +4,49% no mês, +8,18% no ano e +10,08% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos cedeu a 125 pts ante 127 pts anterior.
 
Juros.
 
Os juros futuros recuaram, derrubando como um todo a sua curva de estrutura a termo, com destaque de baixa para os contratos intermediários, que recentemente haviam subido mais.
 
O IPCA-15 explicitou que a inflação está baixa e controlada, permitindo, na visão dos agentes, a continuidade do ciclo de afrouxamento monetário e abrindo mais espaço para a queda de 50 pts-base na reunião do Copom em dezembro próximo – como estimam os analistas.
 
Em relação ao pregão anterior, assim fecharam os contratos: DI janeiro/2020 em 4,69% de 4,70%; DI janeiro/2021 em 4,65% de 4,73%; DI janeiro/2022 em 5,33% de 5,41%; DI janeiro/2023 em 5,88% de 5,93%; DI janeiro/2025 em 6,45% de 6,50%; DI janeiro/2027 em 6,77% de 6,81%.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório sobre o comportamento d mercado na 6ª feira, 22.11.2019, elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante d BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante d BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 12.08: IBOVESPA estável em 102.117 pts; DÓLAR sobe a R$ 5,449 13/08/2020
O MERCADO, 12.08: IBOVESPA estável em 102.117 pts; DÓLAR sobe a R$ 5,449
 
GUIA DE AÇÕES, 12.08: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir 12/08/2020
GUIA DE AÇÕES, 12.08: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir
 
COVID-19: Brasil registra mais 1.274 mortes e 52.160 novos casos 11/08/2020
COVID-19: Brasil registra mais 1.274 mortes e 52.160 novos casos
 
BANCO BMG - Resultado no 2º Trimestre/2020: SATISFATÓRIO 11/08/2020
BANCO BMG - Resultado no 2º Trimestre/2020: SATISFATÓRIO
 
O MERCADO, 11.08: IBOVESPA cai 1,23% a 102.174 pts; DÓLAR cai a R$ 5,415 11/08/2020
O MERCADO, 11.08: IBOVESPA cai 1,23% a 102.174 pts; DÓLAR cai a R$ 5,415
 
GUIA DE AÇÕES, 11.08: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir 11/08/2020
GUIA DE AÇÕES, 11.08: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir
 
GUIA DE AÇÕES, 10.08: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir 10/08/2020
GUIA DE AÇÕES, 10.08: VEJA AQUI AS COTAÇÕES Avalie se convém investir
 
O MERCADO, 10.08: IBOVESPA sobe 0,65% a 103.444 pts; DÓLAR sobe a R$ 5,464 10/08/2020
O MERCADO, 10.08: IBOVESPA sobe 0,65% a 103.444 pts; DÓLAR sobe a R$ 5,464
 
MARKET UPDATE Desemprego sobe SELIC cai. Veja Aqui os Destaques da Semana 08/08/2020
MARKET UPDATE Desemprego sobe SELIC cai. Veja Aqui os Destaques da Semana
 
OUROFINO - Resultado no 2º Trimestrel e Revisão de Preço-Meta de Ações em Bolsa 08/08/2020
OUROFINO - Resultado no 2º Trimestrel e Revisão de Preço-Meta de Ações em Bolsa
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites