Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Internacional

13 de Novembro de 2019 as 23:11:01



BRICS querem Diminuição do Protecionismo



Presidentes da Rússia e da China pedem diminuição de protecionismo
 
Países do Brics querem ampliar integração entre economias emergentes
 
A diminuição do protecionismo é essencial para enfrentar a desaceleração econômica global, disseram nesta 4ª feira, 13.11, os presidentes da Rússia, Vladimir Putin, e da China, Xi Jinping.
 
Em discursos no encerramento do Fórum Empresarial do Brics, grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, os dois líderes defenderam o aprofundamento do comércio internacional para haver desenvolvimento. 
 
Putin
 
Segundo Putin, os países do Brics podem contribuir para suavizar a desaceleração econômica global, ao estreitarem os laços comerciais e tecnológicos entre si.
 
“Dada essa recessão dupla que temos enfrentado, temos visto o crescimento de atitudes protecionistas, de problemas alfandegários. Os países do Brics têm de se esforçar para não se deixar abater por essas coisas. Temos de manter o nível de vida de nossas populações ou até aumenta-las”,
 
declarou. Putin afirmou que, desde 2018, o mundo enfrenta um desaquecimento econômico e deve encerrar 2019 com o menor crescimento em dez anos. 
 
Em 2020, a Rússia assumirá a presidência rotativa do Brics. Putin lembrou que o comércio do país com os demais membros do grupo tem aumentado mais de 20% nos últimos cinco anos.
 
O presidente russo destacou as cooperações entre os integrantes do Brics nas áreas farmacêutica, de exploração espacial, aeronáutica e disse que o governo russo está disposto a aumentar o intercâmbio na área de tecnologia da informação, de informática e em energia limpa, principalmente no segmento de gás natural. 
 
Xi Jiping
 
O aumento do protecionismo global também foi abordado em seu discurso por Xi Jiping, o presidente da China. Segundo ele, a guerra comercial desestimula os investimentos em inovação, o principal instrumento para impulsionar a economia global. China e EUA, as duas maiores economias do planeta, enfrentam tensões comerciais desde que o governo do presidente Donald Trump decidiu impor tarifas a produtos chineses, com retaliações do país asiático. 
 
“Com a nova rodada de transformações industriais e tecnológicas, os motores de desenvolvimento estão ajudando a aumentar a produtividade, a avançar nas áreas sociais e econômicas. No entanto, o crescente protecionismo e as ameaças no mundo estão ameaçando o comércio internacional e o investimento internacional e também levando a uma desaceleração mundial da economia”,
 
disse o mandatário chinês.
 
Em seu discurso, Xi Jiping defendeu a ampliação dos investimentos em inovação, economia digital e economia verde (desenvolvimento aliado às preocupações com o meio ambiente) e afirmou que o país está empenhado em abrir o comércio. Ele destacou que o desenvolvimento da China representa uma oportunidade para o mundo inteiro, principalmente para os países do Brics. 
 
“Nos últimos cinco anos, a China tem contribuído, em média, cerca de 30% do crescimento econômico mundial. No ano passado, o investimento externo da China foi de US$ 143 bilhões, 53% a mais que no ano anterior. A decisão da China é de abrir ainda mais o mercado. Portanto temos a mesma expectativa de aumentar o crescimento no futuro”,
 
acrescentou. 
 
Nahendra Modi
 
O primeiro-ministro da Índia, Nahendra Modi, disse que os países do Brics têm buscado harmonizar os procedimentos tributários e alfandegários de forma a aumentar os fluxos comerciais e de investimentos.
 
Modi ressaltou o progresso do grupo nos últimos anos em ampliar a cooperação entre os bancos e na área de direitos de propriedade intelectual e disse estar empenhado para elevar para US$ 5 trilhões o tamanho da economia da Índia até 2024. 
 
Modi sugeriu que o Fórum Empresarial do Brics, formado por representantes de empresas do grupo, mapeie como as economias dos cinco países membros se complementam e identifique áreas prioritárias para investimentos conjuntos entre os países. O primeiro-ministro agradeceu a decisão unilateral do presidente Jair Bolsonaro de dispensar visto para turistas e homens de negócios da Índia e da China. 
 
Cyril Ramaphosa 
 
O presidente da África do SulCyril Ramaphosa, disse que o país está fortalecendo os pilares do crescimento sustentado, tais como educação, meio ambiente e respeito ao Estado de Direito. Ele ressaltou que seu governo tem dado incentivos para mais investimentos, como o desenvolvimento da zonas econômicas industriais com infraestrutura de nível internacional. 
 
Ramaphosa disse que a África do Sul está revisando o regime de vistos para acolher pessoas capacitadas e competentes, de várias partes do mundo, para visitarem, fazerem negócios e trabalharem na África do Sul. Ele destacou ainda o potencial econômico do continente africano para os países emergentes.
 
“Até 2050, a população da África terá crescido a até 2,5 bilhões de habitantes. Ao criarmos uma área de livre comércio unificada na África, temos por objetivo tornar esse potencial humano subjacente em oportunidade efetiva de alcançar crescimento compartilhado e sustentável”,
 
disse.


Fonte: AGENCIA BRASIL. Wellton Máximo, reporter.

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
COREIA DO NORTE recusa-se a falar de desnuclearização com os EUA 08/12/2019
COREIA DO NORTE recusa-se a falar de desnuclearização com os EUA
 
MÉXICO Campo de petróleo enorme é encontrado, segundo a PEMEX 08/12/2019
MÉXICO Campo de petróleo enorme é encontrado, segundo a PEMEX
 
ARGENTINA - MACRI faz balanço de seu governo 08/12/2019
ARGENTINA - MACRI faz balanço de seu governo
 
ARGENTINA Alberto Fernandez e Cristina Kirchner tomam posse na 3ª feira 08/12/2019
ARGENTINA Alberto Fernandez e Cristina Kirchner tomam posse na 3ª feira
 
FRANÇA - Greve Geral contra a Reforma da Previdência, desde 5ª feira 08/12/2019
FRANÇA - Greve Geral contra a Reforma da Previdência, desde 5ª feira
 
NEW YORK TIMES: Amazônia Completamente Sem Lei, com Bolsonaro 05/12/2019
NEW YORK TIMES: Amazônia Completamente Sem Lei, com Bolsonaro
 
JULIAN ASSANGE pode morrer na cadeia, revela junta de mais de 60 médicos 03/12/2019
JULIAN ASSANGE pode morrer na cadeia, revela junta de mais de 60 médicos
 
HONG KONG Manifestantes cantaram o hino dos EUA e levantaram bandeira americana 01/12/2019
HONG KONG Manifestantes cantaram o hino dos EUA e levantaram bandeira americana
 
TRUMP visita Afeganistão de surpresa 29/11/2019
TRUMP visita Afeganistão de surpresa
 
COREIA DO NORTE lança dois projéteis em direção ao Mar do JAPÃO 30/11/2019
COREIA DO NORTE lança dois projéteis em direção ao Mar do JAPÃO
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites