Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

12 de Outubro de 2019 as 02:10:32



O MERCADO, 11.10: Ibovespa sobe 1,98% a 103.831 pts. Dólar cai a R$ 4,093



Diário do Mercado na 6ª feira, 11.10.2019
 
Ibovespa evolui com acordo comercial parcial entre EUA e China 
 
Comentário.
 
O índice brasileiro denotou firme alta, avançando pelo terceiro pregão consecutivo, com a notícia de um parcial acordo comercial sino-americano. A elevação no dia foi generalizada, com apenas uma empresa em baixa.
 
Internamente, também foi considerada proveitosa pelos agentes a divulgação pelo IBGE de uma nova ponderação do IPCA pela Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF), que visa mensurar as estruturas de consumo, dos gastos e dos rendimentos das famílias, na qual incluiu 56 novos itens e passará a vigorar a partir de janeiro de 2020.
 
Entre alguns analistas, esta alteração induziu revisões para baixo da inflação ao consumidor para o próximo ano, tendendo a trazer ainda maior conforto para o Banco Central continuar o ciclo de afrouxamento monetário e manter a taxa básica de juros (Selic) em patamar mais baixo.
 
Externamente, logo cedo, o presidente dos EUA, Donald Trump, que se reuniu no dia com o vice-premier da China, Liu-He, declarou que “coisas” boas” estavam ocorrendo nas reuniões com os chineses. Na parte da tarde, ratificou sua fala e citou que chegaram a um acordo substancial “fase um”, além de citar que o acerto é bom tanto para os dois países, como para o mundo.
 
Na Europa, aparente progresso no imbróglio do Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) foi bem recebido. Os positivo índices de Nova York favoreceram os ganhos nas demais bolsas pelo mundo.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 4,0930 (-0,70%). Os juros futuros caíram progressivamente como um todo, com destaque considerável para a ponta longa.
 
Ibovespa.
 
O índice principiou com rápida ascensão e, após a primeira hora de negócios, passou a oscilar com curtas variações já ao redor de sua pontuação de fechamento.
 
A Vale foi destaque ponderado de alta e tão somente as duas ações da Eletrobras findaram em baixa, com rumores que sua possível privatização poderá demorar mais do que o previsto.
 
O Ibovespa fechou aos 103.831 pts (+1,98%), acumulando +1,25% na semana, -0,87% no mês, +18,14% no ano e +25,22% em 12 meses. O giro financeiro preliminar da Bovespa foi de R$ 15,6 bilhões, sendo R$ 14,3 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na B3
 
No dia 9 de outubro (último dado disponível), a saída líquida de capital estrangeiro da Bovespa foi de R$ 722,971 milhões, apurando saída líquida de -R$ 9,425 bilhões no mês. Em 2019, o saldo negativo líquido acumulado alcançou -R$ 30,228 bilhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, o volume do setor de serviços variou -1,4% em agosto ante +1,8% em julho – consenso em -0,8%. O indicador passou a acumular +0,5% no ano e +0,6% em 12 meses (+0,9% até julho).
 
Nos EUA, o índice de confiança do consumidor da universidade de Michigan subiu a 96,0 pts na prévia do mês de outubro, versus 93,2 em setembro – consenso em 92,0.
 
Câmbio e CDS.
 
O O dólar recuou frente ao real, com a diminuição da aversão ao risco por conta do acordo comercial entre EUA e China.
 
A divisa fechou cotada a R$ 4,0930 (-0,70%), acumulando +0,91% na semana, -1,49% no mês, +5,63% no ano e +8,40% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país medido pelo CDS Brasil 5 anos cedeu a 134 pts ante 138 pts na véspera. 
 
Juros.
 
Os juros futuros progressivamente registraram baixas, com queda mais acentuada nos vencimentos mais longos. O panorama externo mais tranquilo e a mudança no IPCA levaram a este comportamento no dia.
 
Em relação à sessão anterior, assim fecharam: DI janeiro/2020 em 4,93% de 4,95%; DI janeiro/2021 em 4,59%  de 4,65%; DI janeiro/2023 em 5,59% de 5,75%; DI janeiro/2025 em 6,25% de 6,44%; DI janeiro/2027 em 6,62% de 6,82%.
 
Agenda.
 
Brasil: Atividade Econômica, CAGED, coleta de impostos, IGP-10, confiança industrial CNI, IGP-M (2ª prévia);
 
EUA: Livro Bege/Fed, produção industrial, utilização da capacidade, licenças e construções de casas novas,índice antecedente;
 
Japão: Produção industrial;
 
China: Balança comercial, IPC, produção industrial, vendas a varejo, PIB.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise do comportamentodo mercado na 6ª feira, 11.10.2019 elaborado por HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T integrante do BB Investimentos.

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON MOREIRA ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019  Resultado Líquido Negativo 16/11/2019
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019 Resultado Líquido Negativo
 
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019:  Fortes Resultados 16/11/2019
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019: Fortes Resultados
 
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção 13/11/2019
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir 13/11/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185 13/11/2019
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185
 
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO 13/11/2019
EMBRAER - Resultado no 3º trimestre de 2019: NEUTRO
 
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116 13/11/2019
O MERCADO, 12.11: Ibovespa cai 1,49% a 106.751 pts. Dólar sobe a R$ 4,116
 
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142 12/11/2019
O MERCADO, 11.11: Ibovespa sobe 0,69% a 108.367 pts. Dólar cai a R$ 4,142
 
SANTANDER BRASIL  Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS 09/11/2019
SANTANDER BRASIL Resultados no 3º trimestre/2019: NEGATIVOS
 
BRF  Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS 09/11/2019
BRF Resutados no 3º trimestre de 2019: POSITIVOS
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites