Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

Sexta-Feira, Dia 11 de Outubro de 2019 as 09:10:54



RENDA FIXA Mercado Secundário de Debêntures: CRA e CRI



Renda Fixa - Mercado de Debêntures
 
CRA e CRI no Mercado Secundário
 
Mercado doméstico de renda fixa se mostra menos sensível às tensões globais, renovando movimentos de compra e recorde de volume no secundário de dívida privada
 
Cenário
 
Às instabilidades geopolíticas sofridas na semana passada, somam-se novos receios dos agentes, frente aos indicativos de enfraquecimento econômico, primeiramente observados na Alemanha, pressionando toda a Europa, e, mais recentemente, nos EUA, com um inesperado recuo da atividade industrial medida pelo ISM (Instituto para Gestão da Oferta, na sigla em inglês). O índice apresentou contração pelo segundo mês consecutivo e atingiu o menor patamar em 10 anos, ao nível observado no contexto da crise subprime em jun/2009.
 
Em linha com esta deterioração de expectativas, a estrutura dos títulos do Tesouro norte-americano agravou o perfil da ponta curta e sofreu acentuado recuo em todos os vencimentos, projetando um cenário de estresse, refletido pela inclinação negativa da curva a partir de 3 meses e se estendendo por pelo menos 2 anos.
 
Paralelamente, o mesmo cenário de cautela acentuou o índice de volatilidade global VIX, mas arrefeceu a força de alta do dólar frente as principais moedas e passa a diminuir sua pressão sobre o real.
 
Em mão oposta, o cenário doméstico vem se mostrando mais sensível às pautas internas, como o processo de reforma da Previdência, provocando volatilidades, mas também as reiteradas declarações de teor expansionista da autoridade monetária, que têm incentivado mais o segmento da renda fixa privada. De fato, ao tempo em que a Bolsa registra volumes diários abaixo do histórico recente, o secundário de debêntures renova recordes de negociação.
 
Debêntures no Secundário
 
O recuo da Selic efetivou a expectativa majoritária de mercado, voltada ao corte de 50 pontos, e, a partir de então, a autoridade monetária vem renovando sinais de caráter expansionista, desde o comunicado do Copom, reforçado pela ata, até o Relatório Trimestral de Inflação, recebido nesta semana pelos agentes com entusiasmo.
 
Como resultado, as curvas de juros passam a repercutir mais fortemente este cenário dovish de juros e ressoam em proporção significativamente menor o agravamento das tensões globais e as preocupações com o crescimento econômico global.
 
Ao mesmo tempo, conforme ilustram as curvas de yield e duration, as emissões privadas domésticas oferecem expressivos retornos frente aos seus referenciais DI e NTN-B, apoiados em medidas de risco benignas, seja pelo CDS implícito, seja pelos ratings dos emissores.
 
Assim sendo, a atual conjunção destes vetores passa a favorecer, de forma pouco comum, os movimentos de compra na renda fixa privada. Isto explica, em grande parte, mais um incremento no volume já recorde de negociação das debêntures no secundário, registrado em agosto (com R$ 15,19 bilhões) e superado em setembro (totalizando o mês com R$ 16,56 bilhões)
 
Confira no anexo a íntegra do relatório de análise referente ao período de  03.10.2019, preparada por RENATO ODO, CNPI-P 3058, integrante do BB Investimentos

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: RENATO ODO, CNPI-P 3058, integrante do BB Investimentos





Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
PETROBRAS - Resultado no 3º trimestre/2019 FORTE Resultado Financeiro 20/11/2019
PETROBRAS - Resultado no 3º trimestre/2019 FORTE Resultado Financeiro
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.11 Avalie se convém Investir 20/11/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 19.11 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 19.11: IBOVESPA cai 0,38% a 105.864 pts. DÓLAR cai 0,17% a R$ 4,198 19/11/2019
O MERCADO, 19.11: IBOVESPA cai 0,38% a 105.864 pts. DÓLAR cai 0,17% a R$ 4,198
 
NATURA & CO - Resultado no 3º Trimestre /2019: POSITIVO, Market Perform 19/11/2019
NATURA & CO - Resultado no 3º Trimestre /2019: POSITIVO, Market Perform
 
O MERCADO, 18.11: IBOVESPA ca 0,27% a 106.269 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,205 19/11/2019
O MERCADO, 18.11: IBOVESPA ca 0,27% a 106.269 pts. DÓLAR sobe a R$ 4,205
 
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019  Resultado Líquido Negativo 16/11/2019
SLC AGRÍCOLA - Resultado no 3º trimestre/2019 Resultado Líquido Negativo
 
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019:  Fortes Resultados 16/11/2019
JBS - Resultado no 3º Trimestre /2019: Fortes Resultados
 
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção 13/11/2019
MVR - Resultado no 3º trimestre /2019: Mudança de Direção
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir 13/11/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 13.11 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185 13/11/2019
O MERCADO, 13.11: Ibovespa cai com ruídos entre EUA e China. Dólar sobe R$ 4,185
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites