Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Investimentos

03 de Maio de 2019 as 22:05:59



O MERCADO, 6ª Feira: Ibovespa sobe a 96.007 (+0,5%). Dólar cai a R$ 3,939 (-0,51%)



Diário do Mercado na 6ª feira, 03.05.2019
 
Ibovespa impulsionado por avanços dos índices de Nova York 
 
Comentário.
 
O mercado acionário brasileiro ascendeu apoiado na evolução das bolsas de Wall Street. Os agentes têm dado uma pausa no assunto reforma da previdência, com o índice brasileiro tendo como base neste curto prazo as movimentações dos índices de Nova York, que recentemente bateram recordes históricos e permanecem não distantes de suas máximas.
 
No dia, indicadores do mercado de trabalho norte-americano levantaram o humor dos agentes e favoreceram a redução da aversão ao risco, contagiando positivamente as bolsas de valores pelo mundo.
 
Contudo, no mercado brasileiro, ao longo do mês de maio uma maior volatilidade pode ser esperada, dado que os investidores tendem a ficar mais sensíveis devido à tramitação do texto da reforma da previdência na “Comissão Especial”.
 
No Brasil, o dólar comercial fechou cotado a R$ 3,9380 (-0,53%). Os juros futuros recuaram em toda a extensão da curva de estrutura a termo, com destaque para os vértices médios. 
 
Ibovespa.
 
O índice principiou ascendente e rapidamente superou os 96 mil pts, beneficiado pelos ascendentes índices futuros das bolsas de Nova York, bem como operou em campo positivo ao longo de todo o pregão.
 
Na parte da tarde, operou com curtas variações ao redor dos 96.200 pts (+0,70%), mas arrefeceu um pouco nos leilões de fechamento, com realizações intradiárias de posicionamentos [encerrando a 96.007 pontos (+0,5%)]
 
O setor de siderurgia e mineração, que havia registrado queda recente, foi o destaque positivo no dia. A Petrobras subiu também apoiada na evolução da trajetória do petróleo. O preliminar giro da Bovespa foi de R$ 12,765 bilhões, sendo R$ 12,579 bilhões no mercado à vista.
 
Capitais Externos na Bolsa
 
No dia 30 de abril (último dado disponível), a entrada líquida de capital estrangeiro foi de R$ 9,603 milhões na Bovespa, com a saída líquida em abril encerrando em R$ 745,464 milhões. Em 2019, o saldo positivo passou a acumular cerca de R$ 507 milhões.
 
Agenda Econômica.
 
No Brasil, a produção industrial apresentou variação de -1,3% em março, ante fevereiro (+0,6%) - o mais fraco desempenho desde setembro de 2018 (-2,2%). Já na comparação com março do ano passado, teve queda de -6,1%. O indicador passou a acumular oscilação de -2,2% no ano.
 
Nos EUA, o payroll (criação de vagas na economia) apontou que a economia norte-americana gerou 263 mil postos de trabalho em abril, frente a 189 mil em março. A taxa de desemprego recuou para 3,6% em abril, ante 3,8% em março - menor nível desde 1969.  
 
Câmbio e CDS.
 
O dólar norte-americano recuou frente ao real, acompanhando a redução na aversão ao risco no mercado externo, operando em baixa durante toda a sessão.
 
O dólar comercial (interbancário) encerrou cotado a R$ 3,9390 (-0,51%), acumulando +0,20% na semana, +0,46% no mês, +1,65% no ano e +11,69% em 12 meses.
 
Risco País
 
O risco-país pelo CDS Brasil 5 anos cedeu a 171 pts de 174 pts. 
 
Juros.
 
Os juros futuros iniciaram e findaram em baixa ao longo de toda a sua curva de estrutura a termo, especial atenção aos vencimentos de prazo intermediário. Além do cenário externo, a queda da produção industrial influenciou na trajetória.
 
Em relação à véspera, assim finalizaram: o DI janeiro/2020 em de 6,47% de 6,51%; o DI janeiro/2021 em de 7,06% de 7,14%; o DI janeiro/2023 em 8,15% de 8,24%; o DI janeiro/2025 em 8,68% de 8,76%; e o DI janeiro/2027 em 9,00% de 9,06%.  
 
Para a próxima semana
 
Brasil: PMI Serviços e Composto; Venda, exportação, e produção de veículos Anfavea; IGP-DI; Taxa Selic; Volume do setor de serviços; Vendas a varejo; IGP-M (prévia) e IPCA;
 
EUA: Oferta de empregos JOLTS; Balança comercial e Orçamento mensal.
 
Alemanha e França: PMI Serviços e Composto; Produção industrial e Balança comercial.
 
Reino Unido: Produção industrial.
 
Japão:  PMI Manufatura.
 
China: Balança comercial.
 
Confira no anexo a íntegra do relatório sobre o comportamentodo mercado na 6ª feira, 03.05.2019, elaborado por HAMILTON ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos 

Clique aqui para acessar o aquivo PDF

Fonte: HAMILTON ALVES, CNPI-T, integrante do BB Investimentos

 
Indique a um amigo     Imprimir     Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


  Outras notícias.
O MERCADO, 13.09: Ibovespa cai 0,83% a 103.501 pts. Dólar sobe a R$ 4,086 13/09/2019
O MERCADO, 13.09: Ibovespa cai 0,83% a 103.501 pts. Dólar sobe a R$ 4,086
 
O MERCADO, 12.09: Ibovespa sobe 0,89%, Dólar cai face ao Panorama Externo Melhor 13/09/2019
O MERCADO, 12.09: Ibovespa sobe 0,89%, Dólar cai face ao Panorama Externo Melhor
 
PETROBRAS - Visita à plataforma P-68 - Relatório BB-BI 07/09/2019
PETROBRAS - Visita à plataforma P-68 - Relatório BB-BI
 
O MERCADO, 05.09: Ibovespa sobe com NY. Dólar a R$ 4,110 06/09/2019
O MERCADO, 05.09: Ibovespa sobe com NY. Dólar a R$ 4,110
 
O MERCADO, 06.09: Ibovespa sobe a 102.935 pts (+0,68%). Dólar cai a R$ 4,080 07/09/2019
O MERCADO, 06.09: Ibovespa sobe a 102.935 pts (+0,68%). Dólar cai a R$ 4,080
 
O MERCADO, 09.09: Ibovespa sobe a 103.180 (+0,24%). Dólar sobe a R$ 4,098 09/09/2019
O MERCADO, 09.09: Ibovespa sobe a 103.180 (+0,24%). Dólar sobe a R$ 4,098
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 10.09 Avalie se convém Investir 10/09/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 10.09 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 10.09: Ibovespa em trajetória errática, Dólar estável a R$ 4,095 10/09/2019
O MERCADO, 10.09: Ibovespa em trajetória errática, Dólar estável a R$ 4,095
 
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 04.09 Avalie se convém Investir 05/09/2019
GUIA DE AÇÕES Conheça aqui as cotações de 04.09 Avalie se convém Investir
 
O MERCADO, 04.09: Ibovespa sobe 1,52% a 101.200 pts. Dólar cai a R$ 4,105 04/09/2019
O MERCADO, 04.09: Ibovespa sobe 1,52% a 101.200 pts. Dólar cai a R$ 4,105
 
Escolha do Editor
Curtas & Palpites