Home   |   Expediente   |   Publicidade   |   Cadastre-se   |   Fale Conosco             

Acessórios | Joias & Bijuterias | Calçados para Adultos| Bolsas | Óculos

Sexta-Feira, Dia 26 de Janeiro de 2018 as 20:17:36



IMPOSTOS Arrecadação da União volta a ter crescimento real após 4 anos



Arrecadação federal encerra 2017 com o primeiro crescimento real em quatro anos
 
 
Beneficiada pelo início da recuperação da economia e por medidas como o aumento de tributos sobre combustíveis, a arrecadação federal encerrou 2017 com o primeiro crescimento acima da inflação em quatro anos.
 
No ano passado, a União arrecadou R$ 1,342 trilhão, com alta de 0,59% em relação a 2016, descontando a inflação oficial pelo IPCA Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo.
 
Esse foi o primeiro crescimento real – desconsiderando a inflação – desde 2013. Apenas em dezembro, a arrecadação federal somou R$ 137,842 bilhões, alta de 4,93% acima do IPCA na comparação com o mesmo mês do ano passado. Esse foi o melhor valor para o mês desde 2014, ao descontar a inflação oficial.
 
De acordo com a Receita Federal, dois fatores atípicos explicam boa parte do crescimento da arrecadação no ano passado: o Programa Especial de Regularização Tributária (Pert), também conhecido como Novo Refis, e o aumento do PIS Programa de Integração Social e da COFINS Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social sobre os combustíveis.
 
O parcelamento especial rendeu R$ 24,6 bilhões à União em valores corrigidos pela inflação. Já a alta dos tributos dos combustíveis engordou os cofres federais em R$ 5,7 bilhões, também em valores corrigidos pelo IPCA.
 
Mesmo com as medidas extraordinárias, a recuperação da economia contribuiu para o crescimento da arrecadação no ano passado. Segundo o chefe do Centro de Estudos Tributários da Receita Federal, Claudemir Malaquias, se forem descontados o Pert, o PIS/Cofins dos combustíveis e as receitas não administradas pelo Fisco (como royalties do petróleo), a arrecadação teria encerrado o ano passado com alta de 1% acima da inflação.
 
Impulsionadas pelo aumento da produção de petróleo e pela recuperação do preço do produto no mercado internacional, as receitas não administradas pelo Fisco somaram R$ 36,945 bilhões em 2017, com alta de 46,42% acima da inflação em relação a 2016.
 
De acordo com Malaquias, a alta de 2,18% na produção industrial no ano passado, o aumento de 2,58% na venda de bens e o crescimento de 2,7% na massa salarial contribuíram para a melhoria da arrecadação federal em 2017. Apesar de, no acumulado do ano, as variações terem sido um pouco inferiores à inflação oficial do ano passado (2,95%), essas variáveis passaram a apresentar forte crescimento a partir do segundo semestre.


Fonte: AGENCIA BRASIL





Indique a um amigo     Imprimir    Comentar notícia

>> Últimos comentários

NOTÍCIAS DA FRANQUEADORA E EMPRESAS DO SEGMENTO


 Outras notícias.
MERCADÃO DOS ÓCULOS - Franquia participa da Feira do Empreendedor do SEBRAE 03/04/2018
MERCADÃO DOS ÓCULOS - Franquia participa da Feira do Empreendedor do SEBRAE
 
TEMER dá posse a novos ministros 02/04/2018
TEMER dá posse a novos ministros
 
RODRIGO MAIA: 05/02/2018
RODRIGO MAIA: "Prazo para votar Previdência é “fevereiro, e ponto final”
 
PREVIDÊNCIA Ministro do Planejamento admite alteração na reforma 30/01/2018
PREVIDÊNCIA Ministro do Planejamento admite alteração na reforma
 
IMPOSTOS Arrecadação da União volta a ter crescimento real após 4 anos 26/01/2018
IMPOSTOS Arrecadação da União volta a ter crescimento real após 4 anos
 
STF Carmen Lúcia suspende posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho 22/01/2018
STF Carmen Lúcia suspende posse de Cristiane Brasil no Ministério do Trabalho
 
CMN reduz juros do BNDES a 6,75% ao ano 22/12/2017
CMN reduz juros do BNDES a 6,75% ao ano
 
ELETROBRAS - Seis distribuidoras serão leiloadas em março-abril/2018 10/11/2017
ELETROBRAS - Seis distribuidoras serão leiloadas em março-abril/2018
 
DENÚNCIA CONTRA TEMER será apreciada na 4ª feira, 25.10 pelo Plenário da Câmara 20/10/2017
DENÚNCIA CONTRA TEMER será apreciada na 4ª feira, 25.10 pelo Plenário da Câmara
 
ANGELA MERKEL concorre como favorita nas eleições na Alemanha 24/09/2017
ANGELA MERKEL concorre como favorita nas eleições na Alemanha
 
JORNAL FRANQUIA - Todos os direitos reservados 2009